Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Observação do diafragma na ultrassonografia

A observação do diafragma pode ser um ponto importante para momentos de dúvida sobre rompimento do mesmo em casos de atropelamento, acidentes com arma de fogo, perfurações (...). Muitas vezes é difícil se ter certeza sobre a continuidade do músculo, porém pode-se atentar à presença de alças intestinais, porções do fígado ou estômago dentro da cavidade torácica.

Suspeita de corpo estranho obstrutivo em um cão

Quando vemos um filhote canino apático, com diárreia e vômito, logo pensamos em viroses como a parvovirose e a cinomose. Esquecemos, porém, de considerar a possibilidade de corpo estranho, já que animais jovens da espécie canina costumam ingerir tudo que vêem. 
Essas imagens mostram a severa dilatação de alguns segmentos intestinais, especialmente se comparadas às alças normais na mesma imagem. Essa dilatação é provocada pelas fezes, que durante a imagem animada ficam revolvendo no mesmo lugar, causando um turbilhão bastante característico de processo obstrutivo. 
Mesmo tendo a suspeita de corpo estranho, é sempre importante verificar se realmente não há contaminação viral, já que muitas vezes as imagens são similares, uma vez que o excesso de motilidade devido à destruição das criptas intestinais pode ocasionar um volvulo e simular uma obstrução. Infelizmente não há como ter certeza absoluta, por isso é importante avaliar o histórico e junta-lo à sintomatologia. 
Após o procedimentos ci…

Válvula íleo-cecal de um felino

A junção íleo-cecal dos felinos é um ponto bastante delicado no sistema gastro-intestinal dos felinos, juntamente com a porção pilórica do estômago, pois são nesses pontos que neoplasias como o linfoma se iniciam. 
Apesar da qualidade da imagem não ser totalmente satisfatória, pode-se observar a válvula íleo-cecal cortada transversalmente nessa imagem, formando a aparência de uma pequena bola no centro do quadro. Essa é a aparência normal do corte transversal dessa secção.

Sedimentação vesical solta e aderida à parede de um felino

Este paciente já havia realizado um exame ultrassonográfico há exatos 28 dias, onde havia se constatado a presença de cálculos vesicais de tamanho significativo. Após o tratamento dietético e o controle desses cálculos, o paciente retornou para um novo exame de controle e o que se observou foram pequenos sedimentos flutuantes e alguns aderidos à parede vesical na região do colo. Os rins estavam saudáveis.