Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Ultrassom puma (Puma concolor)/Cougar´s ultrasound

Dentre os felídeos que habitam as Américas, o puma (Puma concolor) é o de maior distribuição geográfica, sendo encontrado desde os Andes até o extremo norte canadense. É um animal solitário e muito ativo durante a noite, de aparência extremamente similar ao felinos domésticos, particularmente ao gato da raça abissínio. 
Esse espécime possui aproximadamente 17 anos de idade, é do sexo feminino e pertence ao Parque Zoológico de Curitiba. 
Seu histórico remonta episódios recentes de êmese, hiporexia e abaulamento abdominal, não havendo proximidade da puma com gatos domésticos ou com objetos passíveis de ingestão pela paciente. 
Ao exame ultrassonográfico observou-se diversas formações císticas arredondadas em camada cortical de rim direito e uma lobo hepático acessório. A concomitância de alterações císticas em órgãos parenquimatosos e rins pode sugerir doença renal policística. 
Observe também as formações nodulares em baço e ecotextura grosseira e a ecogenicidade mista de parênquima e…

Ultrassom de uma tigresa (Panthera tigris)

A Panthera tigris ou tigre é um felídeo de grande porte que habita principalmente a Rússia, Sibéria, Irã, Cáucaso, Afeganistão, China, Índia e algumas ilhas como Sumatra, Java e Bali. Muitas sub-espécies estão extintas ou em risco eminente de extinção, por isso, deparar-se com um espécime no Zoológico é um grande privilégio. Este mamífero é considerado o maior felino dentre todos (300 kg em média), possuindo presas de até 10 cm de comprimento e garras de 8 cm.
Esta paciente pertence ao Parque Zoológico de Curitiba, e tem aproximadamente 18 anos de idade e peso aproximado de 340 kg. Sendo uma fêmea inteira, nulípara e solitária, o exame ultrassonográfico tinha por objetivo avaliar a cavidade abdominal a fim de procurar por evidências imaginológicas que confirmassem a suspeita de piometra, suscitada devido à hiporexia, apatia e sensibilidade da paciente. 
Note que as imagens sugerem esplenomegalia, uma vez que é possível observar a extremidade caudal do baço tocando na bexiga urinária.…

Presença de gás em bexiga de dois pacientes

Quadros de cistite são comumente encontrados na clínica de cães e gatos, especialmente naqueles de pouca idade ou sob grande estresse físico e até mesmo psicológico.
As imagens observadas acima mostram dois pacientes distintos, de espécies distintas, com quadro clínico semelhante: hematúria, polaquiúria.  Dentro da bexiga de ambos pode-se visualizar gás intermural, entre o conteúdo urinário escasso e a camada mucosa. Isso justifica-se pela possível infecção por bactérias anaeróbias produtoras de gás. Note também a irregularidade da camada mucosa e o espessamento bastante evidente da parede vesical. 
Quando um animal  tem problemas renais, a concentração/densidade de sua urina fica comprometida e normalmente baixa. Essa baixa densidade urinária abre portas para a entrada e instalação de bactérias oportunistas em bexiga, de maneira intermitente e crônica, senão constante. 
Alguns pacientes diabéticos concentram anomalamente glicose em seus líquidos internos, como os da bexiga e vesícul…