Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Cicatriz renal em um felino

O rim de um gato deve ter o formato bem definido de um grão de feijão, sendo a região côncava o local onde o ureter se insere, voltada para a região central do abdomen. No caso desse felino, o que se observa é uma leve depressão da região lateral, indicando um processo de cicatrização. Provavelmente a causa de tal alteração é o que se chama se infarto renal, onde um pequeno conjunto de glomérulos pára de funcionar, ocasionando uma lesão em cunha hipoecóica, que pode ser observada no ultrassom. Quando essa lesão cicatriza, a cápsula renal sofre uma pequena depressão, deixando uma marca de que houve uma alteração em algum momento da história de vida do paciente.

Acúmulo de líquido no útero de uma gata

A maneira de reprodução dos felinos é bastante diferente da dos cães. Enquanto as cadelas entram no cio em períodos que variam da quadrimensalmente a semestralmente, as gatas entram no cio conforme a incidência solar e a presença de machos no perímetro próximo à sua região. Devido a tais diferenças, a ocorrência de piometra e outras alterações uterinas nas felinas é menos comum que na canídeas. 
Nessas imagens podemos ver uma distensão uterina acentuada ocasionada por conteúdo anecóico. Como não há a formação de vesículas, pode-se descartar a possibilidade de prenhez.

Estruturas hiperecóicas no fígado de um felino

Esse paciente havia sido submetido a um procedimento cirúrgico havia alguns dias atrás e foi encaminhado ao ultrassom devido a episódios esparsos de êmese. O que foi observado foram pequenas estruturas de formato ligeiramente arredondado no parênquima hepático próximas à vesícula biliar. Não havia uma causa específica, porém, as mesmas haviam sido  localizadas na dita cirurgia e avaliadas microscopicamente, sendo o resultado compatível com processo cicatricial. Seriam essas fibroses decorrentes de uma lesão química, de algum parasita? Por enquanto o caso permanecerá um mistério.
Observe o efeito espelho causado pela proximidade com o diafragma na primeira figura.

Um órgão extraperitoneal, o rim

Os rins estão localizados de uma maneira levemente separada dos outros órgãos abdominais, já que esses estão delicadamente envoltos no peritônio. O peritônio é composto por duas partes, a visceral - diretamente revestindo os órgão abdominais - e a parietal - formando um grande pacote em contato com a parede abdominal. Os rins estão entre o peritônio parietal e a parede abdominal, ficando fora do "pacote" de órgãos.
Aproveito essa imagem de um felino com peritonite infecciosa felina efusiva para mostrar o claro término do peritônio, preenchido ferozmente por líquido, e a localização um tanto curiosa, porém fisiológica, de um dos rins, que parece como que escondido sob um fino lençol de seda.

Conteúdo uterino e ovários de uma canídea

A esterilização, ao contrário da crença de muitos proprietários, pode ser bastante benéfica para aqueles animais cuja reprodução não é desejada por algum motivo. Muitas doenças podem ser evitadas adotando-se esse tipo de prática, sendo uma delas a piometra. 
A cada cio o organismo da cadela libera em seu corpo diversos hormônios a fim de preparar-se para a gestação. Cada um tem uma função e um alvo específicos, sendo o útero um dos principais locais de ação dos hormônios femininos. Toda essa oscilação que acaba ficando sem propósito, pode acabar predispondo o útero à infecções.
Essa paciente apresentava grande quantidade de descarga vaginal fétida de coloração amarelada e o que se vê no ultrassom é uma enorme quantidade de líquido acumulado dentro do útero, que normalmente é visualizado com dificuldade dorsalmente à bexiga, não devendo apresentar nenhum tipo de conteúdo em seu interior. 
Acredita-se que um útero distendido até as proporções de 2cm, variando conforme o tamanho do animal, …