Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Massa em parede intestinal de um cão

A obstrução do intestino delgado pode ter diversas causas, dentre elas a malformação congênita (geralmente detectada tardiamente à morte do paciente ainda muito jovem), os corpos estranhos, a intussuscepção, o abscesso intramural, a hérnia encarcerada, as parasitose intestinais, o volvulo, o enfarte mesentérico, as aderências, as estenoses pós-operatórias, os traumas e outros.

As neoplasias de intestino são menos difíceis de se encontrar do que aquelas que acometem o estômago, porém, ainda assim são raras. Normalmente são linfossarcomas ou adenocarcinomas são os de presença mais constante.

Os linfossarcomas costumam ser mais difusos, afetando grandes porções de parede intestinal, enquanto que os adenocarcinomas podem ser mais localizados e causar imagens semelhantes a um pano molhado e amassado.

A visualização de líquido-livre pode ser indicativa de neoplasias mais severas e/ou peritonite, mas sua observação não é obrigatória, nem diagnóstica.

Alteração testicular em um cão

Os testículos inalterados do cão possuem ecotextura densa e homogênea, divididos por uma linha hiperecóica localizada na região central, que representa o mediastino testicular. As margens externas do parênquima são hiperecóicas. Posicionando-se o transdutor sagitalmente à bolsa escrotal observa-se na região dorsal o epidídimo, de textura mais grosseira e salpicada por pontos hipoecóicos e generalizadamente menos ecóica em relação ao parênquima. A cabeça do epidídimo pode ser vista cranialmente ao mesmo, mantendo-se o transdutor na mesma posição.

É importante atentar às diferenças de tamanho entre um testículo e outro, e às diferenças de textura e ecogenicidade, além da temperatura e da aparência externa.

Não existem diferenças macroscópicas realmente marcantes entre alterações de origem neoplásica, traumática, infecciosa ou inflamatória; porém o histórico, a idade e a anamnese completa do paciente ajudam no afunilamento de possibilidades.

Geralmente a infecção testicular causa diminu…

Sinal da medula nos rins de um gato

O sinal da medula, aquele visto como um halo hiperecóico entre a linha de divisão das camadas cortical e medular, pode ser considerado um achado em muitos felinos, porém pode também indicar intoxicação por certos medicamentos, displasia renal, peritonite infecciosa felina e outros. O prognóstico de um paciente com clínica de insuficiência renal e que apresente o sinal da medula ao ultrassom é reservado.