domingo, 11 de dezembro de 2011

Ultrassom de uma tigresa (Panthera tigris)






A Panthera tigris ou tigre é um felídeo de grande porte que habita principalmente a Rússia, Sibéria, Irã, Cáucaso, Afeganistão, China, Índia e algumas ilhas como Sumatra, Java e Bali. Muitas sub-espécies estão extintas ou em risco eminente de extinção, por isso, deparar-se com um espécime no Zoológico é um grande privilégio. Este mamífero é considerado o maior felino dentre todos (300 kg em média), possuindo presas de até 10 cm de comprimento e garras de 8 cm.

Esta paciente pertence ao Parque Zoológico de Curitiba, e tem aproximadamente 18 anos de idade e peso aproximado de 340 kg. Sendo uma fêmea inteira, nulípara e solitária, o exame ultrassonográfico tinha por objetivo avaliar a cavidade abdominal a fim de procurar por evidências imaginológicas que confirmassem a suspeita de piometra, suscitada devido à hiporexia, apatia e sensibilidade da paciente. 

Note que as imagens sugerem esplenomegalia, uma vez que é possível observar a extremidade caudal do baço tocando na bexiga urinária. Animais de zoológico normalmente apresentam essa alteração, que pode advir do fato de ficarem expostos constantemente a altos níveis de estresse psicológico, o que pode levar a um mimetismo de hiperadrenocorticismo, à parasitose intensa devido à dificuldade de manejo de espécies perigosas ao seres-humanos, e até mesmo à  anestesia em que estão submetidos durante o exame ultrassonográfico. É importante estar atento à ecotextura e a homogeneidade do parênquima esplênico e hepático. 

Quanto ao útero, pode-se observar a presença de conteúdo misto predominantemente hipoecóico em seu lúmen, irregularidade e hiperecogenicidade de camada mucosa e espessamento parietal. Esse conjunto de imagens confirma a suspeita alteração uterina sugestiva de piometra/hemometra/mucometra (a ultrassonografia não é capaz de identificar a natureza do conteúdo), recomendando-se a ovariohisterectomia.

As alterações uterinas não são comumente observadas em pacientes da espécia felina devido às particularidades de seus ciclos reprodutivos como a ovulação induzida pelo coito. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário