quinta-feira, 14 de junho de 2012

Alterações esplênicas em cães







As alterações esplênicas em cães normalmente são avaliadas de maneira subjetiva pelo ultrassonografista, já que existe uma variação de porte do paciente bastante grande. Ao contrário da esplenomegalia em felinos, que pode ser observada pelo aumento longitudinal do órgão, esta afecção em cães é comumente constatada pelo aumento transversal do mesmo. 

Muitas são as causas da esplenomegalia, sendo importante destacar as hemoparasitoses, as parasitoses intestinais e epiteliais severas e as doenças endócrinas como hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo e diabetes mellitus. 

Além do tamanho, o ultrassonografista deve estar atento à ecogenicidade esplênica, que de acordo com o macete "My Cat Loves Sunny Places" (M=medulla; C=cortex; L=liver - fígado; S=Spleen - baço; P=prostate) deve ser discretamente mais hiperecóica que o fígado e um pouco mais hiperecóica do que a camada cortical dos rins. 

Outro aspecto importante é a ecotextura deste órgão, saudavelmente homogênea e lisa, acompanhada de paredes igualmente lisas e finas. As bordas devem se assemelhar discretamente à um cone de ponta arredondada, não devendo ser excessivamente redonda. 

Ao olhar para as imagens acima, podemos ver a diferença de ecotextura esplênica normal, observada na penúltima figura, em relação às demais. 

Hiperecogenicidade excessiva pode estar relacionada à processos crônicos de fibrose e calcificação, enquanto que hipoecogenicidade pode indicar edema local e superutilização esplênica, como nos casos de hemoparasitose e anemia. 

Algumas alterações císticas são observadas em pacientes idosos, não tendo significância clínica, porém chamam atenção negativamente quando em grande quantidade e com formação de septações, que indica fortemente neoplasias como hemangiossarcoma. Quando essas formações parecem ter bordas definidas e conteúdo interno misto predominantemente hiperecóico, deve-se pensar em abscesso. 

A biópsia ecoguiada do órgão pode ser uma opção útil para o diagnóstico mais preciso das alterações locais, sendo recomendada em casos de suspeita de neoplasias. 

Muitas vezes a torção gástrica/volvulo pode causar também a torção esplênica. Este não é um quadro normalmente observado em exames ultrassonográficos, uma vez que o paciente é imediatamente encaminhado para o procedimento cirúrgico para correção do desvio. Porém, torção esplênica por excesso de exercícios físicos pode ocorrer de maneira mais silenciosa, podendo-se observar um órgão extremamente aumentado de tamanho, hipoecóico e arredondado. 

Rompimento esplênico devido à acidentes traumáticos normalmente causa enorme acúmulo de líquido intrabdominal, que pode ser coletado no momento do exame para se observar sua natureza macroscópica. Muitas vezes observa-se descontinuidade do órgão ou mesmo fissuras de grande porte no parênquima. 

Lembrar ao proprietário que o baço é um órgão acessório às funções hematológicas pode ajudá-lo a compreender a importância de uma esplenectomia para fins diagnósticos ou até mesmo de contenção de hemorragia interna. 

Alterações de vascularização esplênica podem indicar cardiopatias, shunts portohepáticos, anemia, dentre outros. 

159 comentários:

  1. Olá,
    Gosto de "My Cat Loves Sunny Places", é moi bo. Comentareino en Sombra Acústica.
    Noraboa polo post.
    Sinto o meu brasileiro, mais bem escrevo en galego.
    Unha aperta.
    Irene.

    ResponderExcluir
  2. Olá Irene,
    Que bom que gostou do "My Cat Loves Sunny Places". Eu também gosto deste esquema.
    Adoro seu "Sombra acústica" também!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Fer pelo empenho e dedicação! Você é um grande exemplo de veterinária! Beijão

    ResponderExcluir
  4. Obrigada mãe! Muito do meu empenho e dedicação devo à você!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Fernanda! Não sou veterinária, mas sou uma "mamãe" de duas cadelinhas lindas, que amo demais, e sou bióloga super curiosa. Uma das minhas filhinhas, a Luna, está sendo preparada para uma esplenectomia. O exame clínico indicou sensibilidade na região do baço, e pelo exame ultrassonográfico, a veterinária visualizou (e eu também vi...) duas lesões arredondadas de tamanho considerável no baço da Luna. Ela está com pouco apetite, e chegou a apresentar níveis de creatinina e GGT aumentados (que com dietinha, hidratação extra e medicamento, já estão regularizados). Fora a perda de apetite, está normal. Perdeu um pouco de peso, mas brinca e responde normalmente, linda como sempre. Foi testada para erlichiose e o resultado foi negativo. Minha dúvida: tem idéia das possíveis causas dessas lesões no baço, considerando o estado geral dela?? Agradeço se puder me dar pelo menos alguma idéia... Obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Olá Andressa,
    Espero que sua cadelinha esteja mesmo bem e saudável!
    Ela já foi operada? Se sim, como está?
    Durante os exames pré-operatórios, houve alguma alteração em hematócrito?
    Você se lembra qual era a ecogenicidade dessas lesões no baço? Mais claras ou mais escuras do que o parênquima restante?
    Podemos pensar em hematoma, abscesso, neoplasia ou hiperplasia nodular benigna. Recomendo que o material seja enviado para análise histopatológica após a esplenectomia :)
    Abraços,

    ResponderExcluir
  7. Sim, Fernada!!! Ela está bem!!! Deu tudo certo...
    Ela foi submetida à esplectomia (aproveitei para realizar a castração tb), mas já tirou os pontos e está super bem. Hoje pela manhã fui informada pelo telefone que o laudo do histopatológico indicou lesão benigna (UFA!!!!), mas ainda não estou com o laudo em mãos, então não sei exatamente o que era.
    No pré-operatório, o hematócrito estava normal, só tinhamos o indício do ultrassom mesmo. A lesão aparecia mais escura do que o resto do parênquima, bem rendondinha. Na verdade, eram duas lesões... após a cirurgia, o cirurgião chegou a me mostrar os fragmentos de baço, e acho que somando as duas lesões, estavam ocupando 20 a 25% do bacinho dela. Depois te conto exatamente o que era! Muito obrigada pela atenção! História com final feliz. Olha ela aí na foto... :)

    ResponderExcluir
  8. Que legal, Andressa!!! Nada como ouvir uma boa notícia dessas! Fiquei muito contente por vc e por ela!
    Me mantenha informada!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Olá Fernanda,

    ao fazer uma ecografia num cão encontrei um baço muito pequeno e hipoecoico em relação ao fígado.

    quais são os diagnosticos diferenciais?

    Obrigada

    Maria

    ResponderExcluir
  10. Oi Maria,

    Obrigada pela visita e comentário.

    As alterações esplênicas principais como congestão difusa, torção, decorrência de inflamação e/ou infecção, doença infiltrativa difusa, doença difusa não-neoplásica, doença difusa neoplásica, hematoma(s), infartos focais, abscesso, neoplasia(s) e foco parenquimal ecogênico, usualmente causam esplenomegalia ou alterações focais que podem causar perda de contorno regular ou não. Nas primeiras que mencionei - até hematoma(s) - o parênquima geralmente se mostra hiperecóico; já nas outras - incluindo hematoma(s) em diante - as lesões são costumeiramente focais e de padrões sonográficos diversos.

    O parênquima esplênico deve ser ligeiramente mais hiperecóico em relação ao do fígado, conforme o esquema "My Cat Loves Sunny Places", então, provavelmente o fato de você ter notado o contrário é mais sugestivo de alteração hepática (hepatomegalia hiperecóica é altamente indicativa de lipidose hepática e até neoplasia).

    Caso se confirme que não há alterações hepáticas, pode-se pensar em um baço displásico, mesmo que nesse caso ele se apresente, ainda que reduzido, hiperecóico.

    Espero que eu tenha ajudado!

    Abraços,

    ResponderExcluir
  11. Oi Fernanda. Dia 29/01/13 minha cadelinha, Mel, caiu de uma altura aproximada de 3 mts, mas está bem , graças à Deus, mas percebo que seu apetite não é como antes, no dia ela fez radiografia onde foi diagnosticada uma esplenomegalia. Pode ter alguma relação com a queda?

    ResponderExcluir
  12. Olá Hilma,

    Obrigada por seu comentário e visita ao blog.

    Que bom saber que sua cadelinha Mel está bem após esse acidente.

    A esplenomegalia nada mais é do que o aumento do baço e ele pode indicar diversas alterações, mas nesse caso é muito provável que seja relacionado à queda, porque o baço é muito "exigido" nessas horas e aumenta.

    Recomendo que consulte um médico veterinário para avaliar o motivo da redução de apetite.

    Espero ter ajudado, abraços!

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, Fernanda. Tenho um cão Golden Retriever de 11 anos, que apesentou algumas alterações quanto ao formato do baço, vistas no exame de US. O exame foi feito pq ele está apresentando um número bastante elevado de leucócitos e um pouco de anemia. A veterinária sugeriu fazer a retirada do baço, mas estou um pouco insegura, pela idade dele e levando em consideração que ele não apresenta nenhum outro sintoma e nenhuma apatia ou perda de apetite. Gostaria de saber sua opinião sobre o assunto para entender qual a possível evolução do quadro.
    Obrigada,
    Camila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camila,

      Obrigada pela sua visita e comentário!

      Legal você compartilhar o caso aqui, mas é muito difícil eu dar uma segunda opinião sobre um acompanhamento clínico de um paciente que eu não conheço e só sei uma pequena parte do histórico.

      A leucocitose (aumento de leucócitos circulantes no sangue) é um indicativo de processo infeccioso, especialmente se a principal célula envolvida neste aumento geral de células brancas for o neutrófilo. É importante atentar para o aumento de outras células da série branca, especialmente os linfócitos, que pode sugerir outras doenças mais graves. Seria interessante determinar qual a origem verdadeira dessa leucocitose para o tratamento adequado.

      Vale lembrar que essencialmente ter ou não ter o baço não mudará em muito a vida da sua cachorrinha, então, se esta é a decisão da médica veterinária responsável pelo caso dela, recomendo que siga sem maiores receios, afinal, ela deve ter sugerido isso com um bom motivo e porque está preocupada com essa anemia (o "excesso" de funcionamento do baço pode levar ao sequestro exagerado de células sanguíneas, causando anemia).

      Espero que eu tenha ajudado!

      Abraços,

      Excluir
    2. Fernanda, muito obrigada pela resposta e parabéns pela sua dedicação!

      Excluir
  14. Boa tarde Fernanda...Gostaria de uma opinião sua com relação ao laudo da ultrassonografia do meu cachorro, um dauschaund de 8 anos e 9 meses, que semana passada teve um mal estar súbito e levei ao vet de emergência, sem saber o que estava acontecendo. No laudo do exame veio o seguinte texto: BAÇO: Dimensões preservadas, porém contornos irregulares com parênquima de cauda esplênica, apresentando formação heterogênea, medindo 3,2x2,9cm. O vet me pediu para esperarmos os proximos 3 meses e repetirmos o exame, mas confesso que não fiquei nada tranquila, principalmente porque não descobri a causa do mal súbito que ele teve. Ele sempre foi um cachorro saudável, não tem sobrepeso e os outros exames estão todos normais: hemograma completo normal, RX torax normal e eletrocardiograma sem anormalidades. Todos os outros orgãos no ultrasom estão super normais também....devo ficar mais ou menos tranquila ou não??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Valéria,

      Obrigada por partilhar o caso comigo!

      Infelizmente, como eu falei para a Camila, que escreveu um pouco antes de você, eu fico um pouco de mãos atadas para dar uma opinião sobre um caso de um paciente que eu não conheço e que tem apenas algumas informações recentes disponíveis para minha avaliação, então, acho interessante que você procure um outro veterinário para pedir uma consulta nova, munida de todos esses exames que você já fez - aliás, um perfil muito completo, parabéns ao veterinário responsável.

      Existem diversas possibilidades para um nódulo esplênico e se você está insegura quanto à conduta, recomendo que converse com o médico veterinário responsável pelo caso pedindo a realização de uma citologia aspirativa - se for possível acessar a alteração transparietalmente - ecoguiada da formação esplênica. Dessa maneira, vocês dois tiram a dúvida do que é. Naturalmente, o veterinário e o ultrassonografista são os mais indicados para lhe dizer se é possível realizar esse procedimento, por isso, o melhor a se fazer é discutir com eles todas as possibilidades e mostrar sua preocupação em resolver o caso o quanto antes.

      Espero ter ajudado!

      Abraços,

      Excluir
  15. Olá, pesquisando no google achei seu site. E fico muito feliz em saber que ainda existem profissionais humanizados, que colocam o seu conhecimento a serviço daqueles que tem pouco ou não tem nenhum. Parabéns!
    Olha estou tão triste e desesperada, a minha cadela de 4 anos, Yorkshire, nunca teve qualquer problema sério e de quarta pra cá apresentou um comportamento estranho, Ficava rodopiando pela casa, não estava comendo e nem bebendo quase nada, vomitando direto uma espuma amarelada. A seguir começou a ficar numa posição de "reza", colocando a parte dianteira no chão e o bumbum pro alto. Parecia estar com dor. levei-a ao veterinário que me indicou novalgina para a dor e fez um exame de sangue. Após 2 dias, ela continuou com os sintomas e com a parte traseira meio caída e sem vontade de andar. Ficou tristinha. O exame acusou uma infecção. pequena, mas uma infecção. Fiquei apavorada. Ainda estou. Marcamos uma ultra e o resultado foi este: Vesícula Biliar acentuadamente distendida pela bile e com forma arredondada, sugestivo de estase ou mesmo obstrução parcial biliar.
    Ainda deu: Pâncreas em grande parte encoberto, porém notou-se segmento do LPE com dimensões habituais, medindo 0,7 cm, parênquima hiperecoico, sugestivo de pancreatite crônica.
    Como assim??? CRônica??? Mas como uma pancreatite (que nunca foi observada) pode se tornar crônica do nada?
    O que posso fazer agora? Quais os exames complementares que devo realizar para ter certeza disso?
    Elazinha está medicada com Novalgina, Digesan, Baytril 15 e Mercepton gotas.
    Não estou sentindo firmeza nesse tratamento. Ela continua molinha, fraca, cansada tristinha. Por favor me ajude! Eu imploro! meu email: francoluz@ig.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Krika,

      Obrigada pela sua participação aqui no blog e pelo elogio! Fico muito feliz com o reconhecimento também dos proprietários :)

      Avaliando a história da sua cadela e os dados que você me enviou, realmente há uma sugestão muito forte de tratar-se de pancreatite com acometimento secundário do sistema biliar. Os ductos pancreáticos e biliar, nos cães, desembocam no duodeno na mesma área da parede, o que pode favorecer a contaminação retrógrada de um ou de outro.

      Considerando-se o diagnóstico obtido com base nessa sequência de exames, que me pareceu bastante apropriada, o tratamento que ela está recebendo está dentro do protocolo indicado. Considere que para o sucesso do tratamento, especialmente os que envolvem o uso de antibioticoterapia, são esperados pelo menos 5 dias de uso contínuo da medicação para que os resultados positivos comecem a aparecer.

      A pancreatite aguda, após alguns dias de ocorrência sem tratamento, pode evoluir para a pancreatite crônica, não sendo exatamente um indicativo de que ela estava com esse acometimento há meses ou anos.

      Caso você ainda tenha dúvidas quanto ao diagnóstico ou tratamento, sugiro que converse com o médico veterinário clínico responsável pelo caso para expor seus anseios.

      Boa sorte com seu animalzinho! Estou torcendo pela recuperação dela!

      Abraços,

      Excluir
  16. Obrigada pela pronta resposta. Só pra complementar, hoje peguei o resultado de um outro exame que o médico pediu, Amilase deu 1.090,0U/L e Lipase deu 283,0 U/L. Com esse resultado o veterinário descartou a Pancreatite. Só que eu tenho pesquisado na Net e vi que esses 2 exames não são confiáveis. Vc poderia me explicar se realmente com esse exame posso descartar a Pancreatite? Ainda aguardo um outro que demora 15 dias, não me lembro o nome, mas tem algo de cortizoide, corticoide, algo assim.
    Como pode dar na ultra sugestivo de pancreatite e no sangue não dar? Poderia ser algo legado aos rins?? Li sobre uma doença chamada Síndrome de Cushing também. Bem, estou muito preocupada. Ela teve uma melhora. Já abana o rabinho, está comendo, mas não bebe água. Não tá querendo beber água. E faz xixi normal. O cocô tá fazendo pouco. Ela está durante 15 dias de dieta de ração. Está comendo arroz papa e frango picadinho, tudo sem gordura e com quase nada de sal. Vc me indicaria algum exame importante pra eu fazer nela?

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Acordei agora. A noite foi difícil. A minha cadela estava ofegante por demais, parecia sem ar algum. Não conseguia deitar e ficava com a língua lambendo o vento, como se para pegar mais ar. E olha que ela nem se agitou. Deitou no chão em posição de morta e ali ficou. Eu de cansada apaguei. Acordei com ela com a respiração normal mas a barriga inchadinha e dura. Fez um cocô (4 bolotinhas)aparentemente normal mas pouca quantidade para quem está comendo 2 colheres de arroz com frango 4 vezes ao dia. A sua barriga faz uns sons estranhos, parece até que tem bicho dentro. Eu faço massagens e ela parece gostar e aí começam os barulhos. Me desculpe por estar desabafando aqui. Achei tanta receptividade e o Veterinário dela, como falei, é básico, de pouca conversa, prático, sem muito envolvimento. Trata bicho como bicho. Talvez a errada seja eu. Poderia me ajudar, me acalmar, me dar uma luz, alguma opinião? Antes de postar aqui eu usei a minha fé e pedi ao meu Deus que usasse esse canal para falar, clarear essas dúvidas acerca da minha Flofy. Não deixe de me responder. Por favor!

    ResponderExcluir
  19. Vc me sugeriria algum exame extra para fazer? Ela só fez por enquanto US e Exames de sangue (Hemograma Completo e Amilase e Lipase) e aquele que não sei bem o nome (já perguntei a ele 2 vezes e ele não me responde, diz: vamos aguardar o resultado).Obrigada mais uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Krika,

      Obrigada pela confiança no meu trabalho!

      É ótimo ver o quanto você se preocupa com sua cadela. Que bom que ela tem esse cuidado.

      Acho importante conversar com o veterinário da sua Flufy para colocar para ele suas ânsias e dúvidas. Doenças crônicas são assim mesmo, vêm e vão. O importante é manter o tratamento e conversar sempre abertamente com o clínico.

      Abraços,

      Excluir
  20. Muito obrigada. Eu já tentei por 6 vezes falar com ele sobre o estado de saúde dela e ele foge do assunto e diz que eu preciso esperar o resultado desse tal exame que leva 15 dias para sair o resultado. Ele não me diz qual exame é esse. Tenho visto a barriga dela ficar quase esplodindo, inchada e muuuito dura mesmo. Ela fica tão incomodada que não tem posição pra ficar. Mas uma última dúvida, é possível o exame Ultra sonografia dar sugestivo de Pancreatite e o de sangue (Amilase e Lipase) dar normal??? Só queria poder entender isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Krika,

      Realmente pode acontecer da amilase e da lipase não apresentarem alterações porque são enzimas pouco específicas para o diagnóstico da pancreatite, ainda que apresentem alterações em diversos caso dessa doença. Infelizmente não existe um exame de sangue mais específico do que a combinação da avaliação clínica, ultrassonografia abdominal e teste de amilase e lipase para o diagnóstico de pancreatite. Normalmente recomenda-se internamento para os pacientes mais críticos como parece ser a sua. Alguma objeção a isso? Se ela está apresentando piora do quadro clínico e ainda mais desconforto abdominal, o melhor é que receba as medicações via endovenosa para que sejam de administração constante. Se sinceramente você não está se adaptando ao atendimento do colega, sugiro que procure o auxílio de um outro profissional, porque cada um tem uma forma de abordagem e minha especialidade é a imaginologia e não a clínica.

      Eu estou imaginando e pressupondo que esse exame que demora mais tempo para ficar pronto seja o de cortisona, para auxílio na triagem do diagnóstico de hiperadrenocorticismo, que também pode causar os sintomas que você relata. Eu estou trabalhando apenas com especulações, porque você precisa confiar que o veterinário clínico responsável pelo caso está fazendo o melhor possível e tudo aquilo que está ao alcance dele.

      Obrigada mais uma vez pela confiança.

      Abraços,

      Excluir
    2. Muitíssimo obrigada Fernanda, por gastar seu tempo e nos responder prontamente.
      O resultado do tal exame saiu e era isso mesmo Cortisol Basal que deu como resultado 6,52+ mcg/dl. Ele então a diagnosticou com Hiperadrenocorticismo. Já havia lido bastante sobre isso, porque pesquisando os sintomas da Flofy, cheguei até essa doença. Só que, seria normal dar esse diagnóstico apenas com esse resultado? Já que ela é uma cadela tão novinha, apenas 4 anos. E não apresenta vários sintomas inerentes a tal doença, como apetite aumentado (ela não tem), sede demasiada (ela não tem), queda de pelo (ela não tem), aumento urinário (ela não tem). Acho estranho e fico querendo que não seja isso. Quais os outros exames que posso realizar para que definitivamente se tenha um diagnóstico preciso, já que os remédios Mitotano e Trilotano tem muitos efeitos colaterais? Só darei esses remédios a ela caso tenha certeza que ela está com isso. E é verdade que a expectativa de vida do animal é de apenas 2 anos após identificada a doença? Desespero total!!

      Excluir
    3. Oi Krika e Flofy!

      Afinal houve uma confirmação de diagnóstico! Isso é bom pois agora o veterinário responsável tem um norte com o que trabalhar, especialmente porque você me relata que ela está clinicamente bem, facilitando o tratamento. Realmente o exame de dosagem de cortisol sérico é o de escolha para hiperadrenocorticismo, mesmo sendo ela um paciente jovem. Existem veterinários especialistas em endocrinologia que você pode consultar para acompanhar o caso.

      Não creio que a expectativa de vida seja tão curta após o diagnóstico e tratamento do hiperadrenocorticismo, mas ressalto que nada na medicina é matemático e cada organismo responde às doenças e tratamentos de uma maneira individual, por isso ela terá sempre que ser acompanhada de perto com exames de check-up pelo menos anuais.

      Espero que vocês fiquem bem.

      Excluir
  21. Ola Fernanda,a dois meses perdi minha Rott mais velha de tumor no Baço com isso decidi que iria fazer um exame de rotina na minha outra Rott de 5 anos , pois bem fiz o exame a 2 meses atras e o resultado foi o seguinte:
    imensões preservadas. Contornos definidos, regulares e ecogenicidade preservada.
    Parênquima homogêneo, salvo a presença de área hipoecogênica, tendendo a circular,
    medindo cerca de 0,62 cm x 0,46 cm de diâmetro.
    ***Dentre os diagnósticos possíveis, sugerem-se Hematoma, Área de regeneração,
    Hiperplasia nodular ou Neoplasia***

    Pois bem eu o vet dela decidimos que iriamos fazer acompanhamento e agora depois de 40 dias refiz o exame e o laudo foi :
    Dimensões preservadas. Contornos definidos, regulares e ecogenicidade preservada.
    Parênquima homogêneo, salvo a presença de área hipoecogênica, tendendo a circular,
    medindo cerca de 0,80 cm x 0,47 cm de diâmetro.
    ***Dentre os diagnósticos possíveis, sugerem-se Área de regeneração, Hiperplasia
    nodular ou Neoplasia***
    Pois é se eu falar que estou calma é mentira estou em puro desespero, a minha pergunta é : Existe qualquer possibilidade de erro ba nedição desta area hipoecogenica ? Pois a diferença de 0,18 cm x 0,01 cm , ? ou o que vc ja presenciou esta alteração é significativa para 40 dias ? Me ajude com sua opinião por favor ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Obrigada pelo seu contato. Como está passando sua Rottweiller? Espero que melhor!

      Os Rottweillers são conhecidos no meio veterinário por possuírem uma grande predisposição à formação de neoplasias/tumores esplênicos/em baço. Por isso é importante ficar de olho nesses nódulos que aparecem no baço, até porque eles podem mesmo ter um comportamento "agressivo" e crescerem rapidamente.

      Espero ter ajudado, apesar de não ter consolado...

      Abraços,

      Excluir
  22. Gostaria de uma orientação, tenho uma dálmata de 09 anos, ela está com mucometra, e o baço aumentado com vasos dilatados.
    Vou realizar a cirurgia para retirada o útero e ovário, em relação ao baço o que pode acontecer com ela, ainda não realizei exames de sangue, tem algum tratamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edna,

      Obrigada pelo seu contato.

      O baço da sua dálmata pode estar aumentado e com os vasos dilatados por diversos motivos, que geralmente recaem sobre uma maior demanda de uso do órgão, seja porque há um processo inflamatório vigente, seja porque a pressão arterial dela está aumentada, seja porque ela está anêmica (...). Recomendo que solicite ao seu veterinário uma avaliação sanguínea mais completa para que o clinico possa avaliar a melhor conduta.

      Espero ter ajudado.

      Abraços,

      Excluir
  23. Olá Fernanda, nesta semana passada levei minha cachorrinha SRD, Noviça ao veterinário, depois de ver que os mesmos sintomas de 2011 para cá que não cessam, melhoram após consulta e medicaçao de antiinflamatório/analgésico e mais 1 exame de coluna, mas retornam quando toma banho em clima mais ameno. Fica gemendo e chega a ter espasmos nas patas traseiras, com cansaço e respirando ofegante. Desta última crise foi recomendado a medicaçao para dor e contra gases mais uma ultrassonografia:
    Bexiga com pouca repleção, parede normaespessa e conteúdo anecogênico. Rins simétricos com arquitetura preservada, relação cortico-medular mantida e normaecogênicos. Estômago com parede normoespessa e presença de gases. Intestino repleto, presença de gazes e fezes, dificultando a visualização da cavidade abdominal. Fígado com parênquemia homogêneo, normoecogênico e tamanho preservado. Vesícula biliar com parede normoespessa e conteúdo anecog6enico. Baço com parênquima homogêneo, normoecogênico com presença de imagem arredondada, hiperecog6enica, medindo aproximadamente 0,83 x 1,13 cm (hiperplasia nodular? neoplasia?) Em 25/01/2014. A veterinária quer fazer uma biópsia! Ela estava na crise gemendo só de passar alguém a seu lado, mas agora não mais, isso depois de 3 dias de medicação. vai voltar na veterinária amanhã! Tu poderia me auxiliar no que fosse, sim? Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel,

      Obrigada pelo seu contato tão detalhado.

      Considerando que sua cadelinha Noviça está apresentando sinais de dor e desconforto desde 2011 e que na ultrassonografia a principal alteração observada foi a presença de um nódulo esplênico, eu realmente acho interessante que você e seu veterinário pesquisem mais sobre o fato, de preferência fazendo exatamente o que ele quer: uma biópsia. Como ainda está apenas no baço o possível tumor visível, este órgão sempre pode ser removido para evitar a disseminação da situação pelo corpo do paciente.

      Aguardo um novo contato!

      Abraço,

      Excluir
  24. Olá Fernanda, como vai?
    Por favor, preciso de uma informação. Quando da retirada do baço de animal idoso e anêmico, deve-se, antes da cirurgia, normalizar o estado sanguíneo do animal? Quais os riscos caso a cirurgia seja feita no animal anêmico?
    Quando este animal apresentar alergia à dipirona pode-se administrar corticóide? Muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristina,

      Obrigada pela sua visita ao blog e comentário.

      Suas perguntas são muito pertinentes.

      Como o baço é um dos órgãos responsáveis pela renovação do sangue, removendo as células velhas para que as novas possam tomar espaço, é sempre interessante em um paciente anêmico que a situação sanguínea seja equilibrada antes de qualquer intervenção cirúrgica, pois uma parte dos anestésicos, mesmo que inalatórias, seja carreada por estas células, bem como o próprio oxigênio necessário para a manutenção da vida.

      Os principais riscos de se ignorar a anemia quando moderada ou severa são a demora para efeito do anestésico e o risco de morte por falta de oxigenação sanguínea adequada e queda abrupta de pressão arterial. Eu posso estar deixando detalhes passarem por não ter um rotina com anestésicos e cirurgia veterinária, por isso recomendo que procure médicos veterinários especialistas ou com maior vivência clínica na área para esclarecer maiores dúvidas.

      O animal alérgico à dipirona pode sim tomar corticóide, que é também um antiinflamatório com potencial efeito analgésico leve. Seu nome é uma corruptela de corticoesteróide, que é um analgésico esteroidal/hormonal, secretado normalmente por nossas glândulas suprarrenais ou adrenais nos cães e gatos. Para efeito imunossupressor (...) o corticóide é ministrado em doses diferentes das antiinflamatórias, geralmente - mas nem sempre - maiores. Existem testes de alérgenos para os pacientes veterinários muito similares àqueles realizados em seres humanos, sendo o dermatologista o mais indicado para lhe recomendar como proceder neste caso e para discorrer sobre o tema com maior detalhamento.

      Espero ter ajudado!

      Abraços,

      Excluir
    2. Olá Fernanda, muito obrigada pela resposta.

      Por favor, mais uma dúvida: o que ocorreu é que o animal com aproximadamente 12 anos estava com tumor no baço. A cirurgia foi feita, e como medicamentos pós- cirurgia foram prescritos dipirona, Baytril e Metacell. Logo após começou a ficar inchada. Para isso foi administrado corticoide injetável na clínica e corticoide para ser usado em casa. Após 48 horas o animal faleceu. Pelo que percebi ela estava ofegante e muito pálida antes de partir. A cirurgia poderia ter sido feita no animal já idoso e anêmico?

      Mais uma vez muito obrigada, abraços, Cristina

      Excluir
  25. Olá Fernanda, muito obrigada pela resposta.

    Por favor, mais uma dúvida: o que ocorreu é que o animal com aproximadamente 12 anos estava com tumor no baço. A cirurgia foi feita, e como medicamentos pós- cirurgia foram prescritos LISADOR, Baytril e Metacell. Logo após começou a ficar inchada. Para isso foi administrado corticoide injetável na clínica e corticoide para ser usado em casa. Após 48 horas o animal faleceu. Pelo que percebi ela estava ofegante e muito pálida antes de partir. A cirurgia poderia ter sido feita no animal já idoso e anêmico?

    Mais uma vez muito obrigada, abraços, Cristina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristina,

      A opção pela realização ou não de um procedimento cirúrgico em qualquer paciente veterinário - de risco ou não - sempre deve ser realizada após uma reunião entre o proprietário do animal e o médico veterinário responsável pelo caso. Neste momento ambos vão pesar os prós e os contras de uma anestesia e cirurgia e decidir juntos qual é a conduta mais adequada para a qualidade de vida do paciente.

      Obrigada por comentar!

      Abraços,

      Excluir
  26. Olá Fernanda
    Minha cachorra é uma sheepdog de 10 anos e apresentou um quadro agudo de aumento abdominal. O resultado ultrassonográfico deu alteração em baço: contornos irregulares, dimensões aumentadas e ecotextura homogênea de aspecto grosseiro, micronodular com ecogenicidade hiperecogênica. Vascularização ao power Doppler e Doppler colorido diminuída. Foram feitos hemograma com resultado apenas de leve trombocitopenia, perfil renal normal e perfil hepático normal. Teste para erlichia negativo. À punção abdominal saída de muito sangue. Optou-se pela esplenectomia que será realizada amanhã. Gostaria de saber sua opinião a respeito deste quadro principalmente em relação ao ultrassom. A cachorra está aparentemente bem, mucosas róseas, porém se alimentando pouco e um pouco prostrada.
    Aguardo sua resposta. Obrigada, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria,

      Obrigada por compartilhar o caso da sua cadelinha.

      Conforme eu já falei anteriormente, os animais e os seres humanos - inclusive - levam uma vida perfeitamente normal sem o baço. Como no quadro da sua Sheepdog ela ainda não apresenta sinais clínicos evidentes de alterações graves, é realmente o momento ideal para intervenção cirúrgica e remoção esplênica, já que assim você evita possíveis metástases caso se trate de neoplasia e já pode permitir o envio deste material para avaliação microscópica.

      Aguardo para saber o resultado da biópsia e fico na torcida para que ela e você estejam bem!

      Abraços,

      Excluir
  27. Olá! Primeiramente gostaria de parabenizar sua iniciativa deste blog. Sei que é muito difícil "resolver" casos aqui, porém o seu carinho e as respostas que vc dá são repletas de carinho e profissionalismo.

    Gostaria de, se possível, uma opinião sua sobre o caso de minha cachorrinha Cacau. Ela tem 4 anos é da raça yorkshire e é muito alegre e carinhosa. Desde janeiro de 2014 ela apresenta uma diminuição do apetite (ela era muito, muito esfomeada), mas não apresenta perda de peso. Começou a ter alguns episódios de vômitos amarelados. Em consulta ao Vet, foi solicitado exame de sangue e ultrassom. O exame de sangue constatou alteração somente em ALT de 152U/L, considerado alto. O ultrassom (segue abaixo o laudo) apresentou esplenomegalia e lama biliar. Como ela foi picada por carrapto no ano passado, foi solicitado exame de sangue adicional para evidenciar alguma doença que poderia ter sido transmitida, mas os resultados foram negativos.

    Ela foi medicada para o estomago (provável gastrite) e os vômitos terminaram, porém fica a dúvida sobre o aumento do baço.

    Fomos orientados a realizar novo ultrassom em 15 dias para observar novamente a condição do baço.

    Você sugeriria outro tipo de exame? ou terapia?

    desde já, muito obrigado!!

    Ricardo


    Laudo Ultrassonográfico:


    Fígado de contornos definidos, margens regulares, ecotextura homogênea de dimensões preservadas.Vesícula Biliar repleta por conteúdo hipo/anecogênico, de paredes ecogênicas, preservada e mucosa regular.Arquitetura vascular preservada.

    Estômago em topografia habitual,de moderada repleção por conteúdo hiperecogênico (gás), de paredes preservadas e mucosa regular.Segmentos de alças intestinais de dimensões variadas, de elevada repleção por conteúdo hiperecogênico (gás), paredes preservadas, mucosa regular, peristaltismo presente e evolutivo.

    Baço de contornos definidos, margens regulares, ecotextura homogênea e dimensões aumentadas.

    Rins simétricos, em topografia habitual, relação córtico-medular mantida, junção córtico-medular definida, pelves e corticais ecotextura preservada.

    Vesícula urinária de moderada repleção por conteúdo anecogênico, de paredes preservadas e mucosa regular.

    Cornos uterinos e ovários não individualizados – OSH.

    Não há evidências sonográficas de alterações em linfonodos mesentéricos.

    Conclusão:

    -Lama Biliar;
    -Esplenomegalia.

    São Paulo,24 de Fevereiro de 2014.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ricardo!

      Obrigada por sua visita ao blog e pelo compartilhamento do caso. É sempre enriquecedor trocar idéias com proprietários cuidadosos.

      A esplenomegalia homogênea e "simples", como a observada em sua cadela, pode ser causada por diversos fatores, dentre os quais eu destaco para o caso os processos inflamatórios/infecciosos diversos (que podem ser locais ou sistêmicos), a anemia moderada à severa, o uso de analgésicos, antiinflamatórios não-esteroidais e esteroidais (corticoesteróides, por exemplo), a presença de doença endócrina como diabetes, hipotireoidismo ou hiperadrenocorticismo e outros.

      Eu sugiro que você converse com o médico veterinário clínico que está acompanhando o caso da sua cadelinha e exponha suas dúvidas, colocando-se à disposição para a realização de mais testes ou de que mais ele julgar necessário para a investigação do caso.

      Eu realmente acredito que a conduta assumida por ele, de repetir esta ultrassonografia, seja bastante adequada.

      Espero que tudo corra bem e aguardo notícias!

      Abraços,

      Excluir
  28. Olá Fernanda. Adorei seu blog. Parebéns!!! Tenho um Labrador de 7anos e recebi o seguinte laudo: Esplenomegalia moderada, contorno regular, parênquima heterogêneo por 04 áreas hipoecóicas de 04- 08cm, compatível com hematoma, hiperplasia ou neoplasia.
    Você acha que pode ser grave? Será preciso retirar baço? Existe alguma causa para essas áreas terem aparecido. Ele tomou há uns 15 dias atrás dipirona. pode ser a causa disto. Obrigada. Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pedro,

      Obrigada pelo seu contato.

      A dipirona não causa nenhum efeito colateral conhecido parecido com alteração esplênica (do/no baço), por isso acho pouco provável que haja envolvimento do medicamento na alteração observada no baço do seu Labrador.

      A conduta clínica deve ficar por conta do clínico veterinário e do cirurgião responsáveis pelo caso dele.

      Obrigada e boa sorte!

      Excluir
  29. Ola... Minha cadelinha foi diagnosticada com esplenomegalia... E está com a barriga bem inchada, ficou um mês internada, mas a barriga não desinchou. É normal? Irá desinchar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani,

      A esplenomegalia não é uma causa, mas sim uma consequência. Dependendo do que está causando o aumento do baço da sua cadelinha, o tratamento e o prognóstico variam. Recomendo que se informe melhor com o médico veterinário que está acompanhando pessoalmente o caso dela para entender o motivo deste órgão estar grande o suficiente para causar inchaço da barriguinha dela.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  30. Bom dia, Dra. Fernanda.
    Minha cadelinha tem 1 ano e meio e passou por uma cirurgia de emergência agora no sábado (07/06) devido a um quadro de piometra, o útero dela inclusive já estava rompido, mas graças a Deus a recuperação está dentro do esperado. Ocorre que, na ultrassonografia, antes de fazer a cirurgia, foi acusado esplenomegalia. Estaria diretamente relacionado a piometra? Como essa causa já foi solucionada o baço tende a diminuir? Desde já obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que sua cadelinha foi atendida a tempo e está passando. Tomará que se recupere plenamente logo.

      A esplenomegalia pode sim ser observada em quadros de inflamação, se encaixando no quadro da sua pacientinha. Se o ultrassonografista ou o clínico suspeitam de outras possíveis causas para esplenomegalia, recomendo a repetição do exame com o mesmo profissional a fim de comparação subjetiva.

      Boa sorte com ela.

      Abraços,

      Excluir
  31. Olá.. a minha cadela esta a algum tempo fazendo xixi descontroladamente. Enquanto dorme acaba fazendo o xixi sem perceber. Levei ao veterinário para fazerem um ultrassom e exame de urina. No ultrassom o baço dela apareceu em um tamanho muito grande parecendo um chocalho de brinquedo. A veterinária então disse q ñ era nada e que teria que tentar investigar, mas a barriquinha da minha cachorra esta até inchada. O que você acha que poderia ser? E você acha que esse problema do descontrole da urina dela esta relacionado?
    Bom, sei que é difícil dar um diagnostico sem visualizar o problema, mas se você puder me dar qualquer informação agradeceria muito.
    Obrigada de atenção e parabéns pelo trabalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu comentário e visita ao blog!

      O baço é um órgão que responde ao sistema imunológico do animal, por isso algumas vezes ele pode ficar aumentado conforme um processo inflamatório ou infeccioso toma conta do organismo. O fato de sua cadela não estar controlando a urina deve ser investigado pelo médico veterinário responsável pelo caso, pois as mais diversas alterações podem ser a causa disso, incluindo até senilidade. Quanto ao baço, recomendo que se repita a avaliação sonográfica em um prazo determinado pelo ultrassonografista/clínico.

      Boa sorte com ela!

      Abraços,

      Excluir
  32. Boa noite, Fernanda!Minha cachorrinha tem 16 anos está com baço aumentado(importante esplenomegalia, com parênquima homogênico, superfície lisa e margens finas. O exame de sangre praticamente não houve alteração os leucócitos deram 5,8 mil e o normal é de 6 a 16 mil, o resto do exame de sangue deu normal) será que é realmente necessário fazer cirurgia para retirá-lo. Desde já obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cris,]

      Obrigada pelo comentário. Creio que a pessoa mais indicada para decidir com você o que fazer é o médico veterinário clínico que a acompanha há mais tempo. Ele pesará os prós e os contras do tratamento cirúrgico versus o conservativo.

      Espero ter boas notícias em breve.

      Excluir
  33. Naiara Araújo Santos2 de janeiro de 2015 11:18

    Olá Fernanda!estou tão angustiada. O meu pit bull foi diagnosticado com câncer, segundo o veterinário o tipo de câncer é um dos mais agressivos. No relato do veterinário já havia tumor por dentro e logo surgiu um tumor no testículo e em seguida na virilha. Os tumores externos foram removidos mas o problema é que o veterinário disse que a partir daquele momento iríamos dar qualidade de vida ao animal. A situação do meu cão piorou, o maior problema agora é o aumento do baço, ele come pouco, fica muito tempo deitado, tem diarreia e vômitos. O que faço?Estou desesperada. Vamos levá-lo ao veterinário dia 06/01/2015, o que faço de alimentação e medicação durante esse tempo em casa?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Naiara,

      Sinto muito pelo diagnóstico do seu pittbull. Realmente é uma pena ver os pacientes passarem por esta doença.
      Infelizmente, via internet, não posso lhe indicar nada para este intervalo. Você deve fazer uma consulta com um profissional especializado ou altamente familiarizado com a área para ver quais são os tratamentos mais modernos e eficazes para o tipo de câncer que seu cachorro tem e quais são as medidas mais acalentadoras para a qualidade de vida esperada neste momento.

      Boa sorte

      Excluir
  34. Oi Dra. Fernanda, parabéns pelo seu blog... Pelo que vi a dra. ajuda muito as pessoas com suas angustias relacionadas com seus cãezinhos, que Deus retribua tudo isso em dobro.. Vou contar o meu caso, na esperança de que tenha uma luz para me dar... Tenho uma border collie de 5 meses, e faz duas semanas que ela perdeu o apetite (antes ela devorava a ração, agora ela nem chega perto), levei no veterinário e ele desconfiou que fosse algo no estomago...pq ela tinha vomitado.. Mas pediu hemograma e ultrasson. No hemograma deu alteração nos Eosinófilos e nos Monócitos ambos abaixo do valor de referência e no ultrasson
    - Baço apresentando dimensões discretamente aumentadas, contornos lisos, ecogenicidade normal e parênquima homogêneo.
    - Linfonodos mesentéricos com dimensões aumentadas (um deles mediu 2,0 cm x 0,5 cm - eixo longitudinal), contornos regulares e parênquima homogêneo normoecogênico.
    Levei ela novamente p avaliação dos exames e o veterinário não concluiu um diagnóstico mas receitou 4 remédios (analgésico, antibiótico, antinflamatório e um xarope p proteger o estomago)... Eu achei estranho iniciar um tratamento sem concluir um diagnóstico, mas estou seguindo o que foi recomendado, a suspeita dele é a doença do carrapato... Enfim, quero saber o que pode ser... que exames posso pedir p definir o que esta acontecendo. Por favor me ajude! Estou desesperada..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônima,

      Muito obrigada por seu comentário e elogio. É sempre um incentivo a mais para uma médica veterinária como eu saber que os proprietários reconhecem nosso trabalho e valorizam os profissionais.

      Geralmente o aumento do baço está relacionado mesmo aos processos que envolvem a anemia, visto que o órgão é parcialmente responsável pela produção e reciclagem das células sanguíneas. O aumento dos linfonodos mesentéricos pode indicar uma inflamação e/ou infecção local ou sistêmica (no restante do corpo).
      Então, apesar de o médico veterinário responsável pelo caso ter lhe dito que não fechou um diagnóstico específico, me parece que o caminho que ele está tomando tem uma ótima fundamentação e embasamento teórico, logo eu penso que a conduta está correta, sim.
      Dê a devida continuidade ao tratamento, pois a doença do carrapato necessita de tratamento crônico adequado e ininterrupto para funcionar.

      Aguardo mais informações.

      Abraços,

      Excluir
  35. Boa tarde Dra Fernanda! Tenho um Pit Bull de 12 para 13 anos. Foi feita uma punção dos linfonodos e o resultado foi inconclusivo para Linfoma.O ultrassom mostrou que ele está com tumor no baço. O caso é que ele está com este quadro há exatos 1 ano (desde que fiz o primeiro exame). Trato apenas com corticóide - optei por não fazer quimio. O figado, rins, e outros órgãos estão intactos e perfeitos. Os linfonodos mesentéricos normais. Apenas os ganglios do pescoço que ficam um pouco inchados. O ultimo ultrassom mostrou um aumento do tumor do baço, o que levou o veterinário a sugerir a retirada do baço. Tenhos algumas dúvidas que ainda não conversei com ele e gostaria de perguntar para a Dra. Meu pit bull está aparentemente muito saudável, apenas cansando facilmente. Come muito bem, alegre, fezes normais. Entendo que o linfoma é um câncer agressivo. Estaria ele vivo e bem até hoje? Para ter certeza do diagnostico de linfoma, teria que anestesiá-lo para retirada de um linfonodo e fazer biopsia, correto? Uma vez que terá que ser anestesiado, poderia se pensar em retirar o baço. Minha dúvida: com diagnostico de linfoma, vale a pena submeter um cão de 13 anos a retirada do baço? Que complicações ele poderia ter? Não pretendo fazer quimio. Apenas continuar com corticoides..É possível? Tão triste tudo isso. Um cão tão alegre, tão cheio de vida... :( Obrigada pela sua atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônima,

      Obrigada pela sua visita ao blog e pela participação com este caso clínico.

      Sinto muito pelo seu cão. É muito triste vê-los passando por situações como esta. Sorte que a medicina veterinária tem evoluído mais a cada dia a ponto de dar conforto e cuidado aos bichinhos; sorte também existirem proprietários prontos e dispostos a cuidar de seu animal de estimação dentro de todas as medidas possíveis.

      O linfoma é sim um tipo de câncer que pode ser agressivo e até apresentar reaparecimento dos sinais após o tratamento quimioterápico; por isso dificilmente tratamos o paciente como "curado" do câncer e recomendamos acompanhamento cuidadoso e periódico sempre.

      De qualquer maneira, cada organismo e indivíduo reagem diferentemente à dor. Alguns pacientes são mais sensíveis e outros mais indiferentes, continuando sua vida normal mesmo com diagnósticos terríveis.

      A maneira menos invasiva e comumente indica para a detecção do linfoma é realmente a punção aspirativa por agulha fina (PAAF) dos linfonodos acometidos. Muitas vezes uma única amostra pode ser realmente inconclusiva, por isso recomenda-se a retirada de material de ao menos três linfonodos de regiões diferentes para se ter uma boa margem de segurança. Este é um procedimento simples que normalmente não requer anestesia e nem qualquer tipo de sedação, visto que consiste apenas da introdução de uma agulha nos gânglios.
      A biópsia de linfonodo não é um procedimento comum, pois sua retirada só é recomendada em casos extremos.

      Quanto à retirada do baço, eu repetirei o que normalmente falo: o baço tem sim uma função no organismo, porém ele é um órgão acessório, ou seja, sua presença não é essencial, imprescindível ou insubstituível. Quanto à recomendação dessa atitude num caso de suspeita de linfoma, já acho questionável.

      O linfoma caracteriza-se por acometer o sistema linfático, portanto não existe uma possibilidade de remoção cirúrgica de todos os linfonodos e glândulas ligadas a este sistema.

      A esplenectomia costuma ser recomendada em casos de neoplasias focais e não sistêmicas como o linfoma. Porém, é possível haverem novos métodos de tratamento da doença que eu desconheço, já que sou ultrassonografista e não oncologista.

      Recomendo fortemente que você procure um médico veterinário com especialização na área e leve suas dúvidas e questionamentos a ele para maiores esclarecimentos. Tenho certeza de que você sairá de uma consulta com o oncologista mais tranquila e serena.

      Boa sorte.

      Abraços

      Excluir
  36. Boa tarde Fernanda. Adorei seu blog e gostaria de parabenizá-la!! Sou médica veterinária imaginologista e tenho aprendido muito com as discussões que você propõe aqui. Parabéns também pela atenção e carinho com os quais você responde a todos os proprietários que vêm aqui tirar suas dúvidas e anseios. Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega! Muito obrigada pelo seu retorno e elogio. Que bom que você gosta e aprende um pouco por aqui. Sinta-se à vontade para sugerir mais temas de posts e vamos "trocar figurinhas" (imagens) :D

      Abraços,

      Excluir
  37. Olá Dra Fernanda

    Tenho um gato adulto diagnosticado com um câncer no fígado. Moro no interior, cidade pequena, os recursos não são os mais avançados. Fizemos uma ultrassonagrafia que mostra todos os órgãos do aparelho digestivo em situação de normalidade, somente o baço e o rim rim direito consta como estando deslocado para região inguinal. O fígado "com contornos indefinidos, com margens irregulares, dimensões aumentadas, ocupando grande parte da cavidade abdominal, textura heterogênea e ecogenicidade mista. Foram encontradas várias regiões anecogênicas homogêneas sugestivas de cavitações"- texto do laudo. A vesícula biliar "não foi possível visualização devido a presença de cavitações em sua topografia". Tenho algumas dúvidas sobre o diagnóstico, gostaria muito, muito mesmo de morar aí perto e levá-lo para que você o consultasse pessoalmente. Na impossibilidade ( seriam mais de 9 horas de viagem) peço desesperadamente sua ajuda, não suporto vê-lo sofrer. Está muito magrinho, aparenta um quadro de anemia e talvez icterícia ( tem as orelhas e as gengivas muito amareladas), ainda pede comida, às vezes come e vomita. Hoje quase desmaiou. Não sei a idade dele, é adulto, foi castrado, mas foi abandonado doente em frente a nossa casa. temos feito o possível, mas é difícil. Não aceita ração, nem mesmo patê.Tem se alimentado de carne crua e leite. Por favor doutora, nos oriente, estamos devastados, um animal tão lindo, tão dócil, tão humilde.Desde já agradeço.
    Edna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edna,

      Sinto tanto pelo diagnóstico do seu gatinho. Infelizmente não há maneiras de prevenir este tipo de sofrimento e agora o que lhe resta é dar conforto e o mínimo de qualidade de vida a este pacientinho.

      Ao que parece, a neoplasia hepática do seu felino está em um estádio bastante avançado, provocando alterações diversas na topografia de outros órgãos abdominais, o que é bastante preocupante. Realmente a alimentação dele deve estar bem complicada, pois o estômago é ligeiramente comprimido pelo próprio fígado, causando náusea e ânsia o tempo todo.

      Na medicina veterinária, felizmente, temos a opção de cuidar do nosso paciente até o momento em que sua vida aguenta, e com carinho e amor tenho certeza de que ele, pelo menos, se sentirá acolhido e querido.

      Realmente é uma pena que eu não possa vê-lo e dar-te um abraçado apertado para dizer que no final, tudo se resolve.

      Abraços,

      Excluir
  38. Boa noite Doutora! Parabéns pelo blog e pelo tempo que dispende para ajudar a todos!

    Minha York de 12 anos tem atopia crônica. Tomou remédio a vida toda para controle - antibióticos, corticoides, anti-histamínicos...
    Recentemente teve uma crise de tosse persistente. Como a causa não era clara, fizemos diversos exames.

    Os de sangue foram bons, com exceção da TGP que deu 154.

    Na ecografia abdominal apareceram problemas:
    - Baço: Tamanho, ecogenicidade, formato e contorno preservados. Em terço médio subcapsular, estrutura arredondada, hipoecóica, heterogênea, vascularizada, com contornos irregulares medindo 1,31 x 1,08 cm. Vasculatura sem alterações ecográficas.
    - Fígado: Ecogenicidade aumentada difusamente, entremeado micronodular hipoecóico medindo 0,40 x 0,50 cm de diâmetro. Tamanho aumentado, bordas ligeiramente arredondadas. Vasculatura dentro da normalidade ecográfica.
    - Rins bilateralmente: ecogenicidade cortical preservada, moderada diferenciação córticomedular. Tamanho, contornos, formato, preservados. Pelve direita preservada. Pelve esquerda discretamente dilatada por conteúdo anecóico medindo 0,24 cm de diâmetro.

    Conclusões:
    -Alterações renais bilaterais podem sugerir nefropatia, com leve pielectasia em rim esquerdo.
    -Nódulo neoplásico ou regenerativo em baço.
    -Alterações hepáticas tem como diagnósticos diferenciais: esteatose, hepatopatia crônica ativa, endocrinopatias associadas a nódulos de regeneração.

    Radiografia de tórax:
    - Aumento de radiopacidade pulmonar moderado e difuso em padrão bronquial.
    Conclusões: Padrão pulmonar pode sugerir broncopatia, sem alterações em relação ao exame anterior.

    Se pudesse me ajudar com as seguintes dúvidas ficaria muito grato:
    - Os problemas de fígado e rins são compatíveis com a idade e com o histórico de abuso de medicação... Não há muito o que fazer além de continuar com alimentação correta e saudável e cuidados normais.. Correto?
    - Quanto ao baço, um médico acha que é bom remover. Outro acha melhor acompanhar de tempos em tempos o desenvolvimento... O que acha?
    - O diagnóstico dos pulmões não mudou após o período de antibiótico recomendado pelo médico. Pode ser algo próprio dela, devido a alergia?
    - Alguma possível relação da tosse com o relatado nos exames?

    Muito obrigado,
    Fabio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabio,

      Obrigada por escrever suas dúvidas.

      As alterações de fígado podem sim estar relacionadas ao uso crônico de medicações que são mesmo hepatotóxicas, porém, a única maneira de fechar diagnóstico hepático é fazendo uma punção por agulha fina (PAAF) para posterior citologia ou uma biópsia para a realização de histologia microscópica. Muitas vezes o fígado nos engana com imagens pouco alteradas para o quadro clínico e vice-versa.

      Já as alterações renais podem advir mesmo da idade, já que você não relata problemas no bioquímico (aumento de creatinina ou de uréia).

      Quanto ao baço, eu não posso dar uma opinião somente com base nessas impressões diagnósticas. Geralmente o órgão é removido quando se tem uma suspeita muito concreta de tratar-se de neoplasia (câncer), o que, pelo que você relata, não parece ser o caso.

      O padrão pulmonar pode não mudar mesmo com o tratamento eficaz. Se a tosse persiste e se há febre, ela deve consultar novamente o médico veterinário para novas orientações quanto ao uso de outros antibióticos. Se ela está bem, o melhor é apenas acompanhar em breve com nova radiografia. Quanto a tosse estar relacionada com as demais alterações, não percebo assim. O corticóide abaixa a imunidade e o uso crônico dele pode tê-la predisposto a broncopatias.

      Espero ter ajudado!

      Excluir
    2. Muito obrigado !!
      Agradeço de coração.

      Fabio.

      Excluir
  39. Dra, boa noite. Neste momento meu cachorro esta passando mal, esta com dor, falta de apetite, falta de ar, a lingua dele ta branquinha e sempre pra fora... Sei que é p baço pq ele ja teve 2 mal súbitos. Nos exames foi diagnosticado com anemia, tinha pedra nos rins, cristal na bexiga e alteração no baço, fizemos todos exames para chegar até isso. Ele vai precisar de transfusão pela anemia, porem tbem a remoção do baço. O que eu posso fazer para ajuda-lo em casa? enquanto não tenho como arcar com a cirurgia? me ajude!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stefany. Obrigada por ebviar sua mensagem.

      Infelizmente não há muito o que fazer em casa neste caso senão dar a ele conforto e um local confortável para ficar.

      Informe-se na clínica veterinária sobre formas de pagamento e parcelamento para ver se não é mesmo possível agilizar o procedimento dele.

      Boa sorte!

      Excluir
  40. Olá Dra, preciso muito de sua opinião. Meu cachorro deve ter uns 11 anos(adotei da rua, então não sei a idade precisa), é de porte médio, tem o coração um pouco aumentado e um leve sopro(me disseram que deve ser por causa da velhice e que ainda não precisaria de remédio), e devido estar apresentando febre, fizemos uma ultrassonagrafia, constatando um tumor no baço de 7 cm. Essa noite, ele começou a ficar ofegante e a cair.levamos ao vet, o hemgrama deu leve anemia e leucocitose de 70.000.Estamos fazendo exames para ver se já não tem metástase, para marcar a cirurgia e retirar o baço. Fizemos raio -x do pulmão. onde mais temos que fazer exames para ver metástases? o que mais podemos fazer? devemos mesmo retirar o baço, e deixamos do jeito que está? temos medo de operar, além dele passar dor do pré operatório, morrer logo depois. por favor, me dê sua opinião. obrigada, paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paula.

      O médico veterinário responsável pelo caso da sua cadelinha está assumindo exatamente a postura clínica recomendada e por isso creio que você deva confiar no protocolo e nele conforme as orientações.

      Nestes casos geralmente a remoção do baço é fortemente indicada.

      O pulmão é o local principal de pesquisa de metástase por ser um órgão vital. Caso não haja envolvimento dele no câncer, as chances de tratar a alteração são costumeiramente mais bem sucedidas, lembrando que mesmo assim a biologia é uma caixinha de surpresas; cada indivíduo responde de um jeito ao tratamento. Também devemos lembrar que dada a expectativa de vida de um cão (bastante inferior à nossa em anos corridos), meses equivalem a anos, então tudo deve ser visto com um olhar diferente do que você usaria pra avaliar a situação em si mesma.

      Obrigada pela participação e boa sorte!

      Excluir
  41. Ola Fernanda! Amei o blog, e espero que ainda esteja ativo... Tenho um SRD de 13 anos. Por ele passar quase o dia todo dormindo e ter perdido um pouco o apetite, decidi junto ao vet fazer exame de sangue. Ele teve febre tbm um pouco antes. Nesse exame, o que deu alterado, indicava um possível tumor, então fizemos ultrassonigrafia, o que resultou no seguinte (pontos mais importantes):
    Baço: dimensões aumentadas; contornos definidos, parênquima homogêneo, arquitetura vascular com calibre e trajeto preservados em regiões passíveis de observação e ecogenicidade preservada. Observação: em região mesogástrica bilateralmente evidencia-se uma imagem arredondada, de contornos indefinidos, de aspecto heterogêneo hipoecogênico medindo aprox. em torno de 6,42cm x 5,34cm a 6,68cm x 5,40cm - sugestivo de neoformação (topografia compatível a região esplênica - a esclarecer,devido deslocamento topográfico).
    Alças intestinais:espessura e estratificação em camadas preservadas medindo até 0,29cm nos segmentos observados, preenchidas por conteúdo gasoso e moderado heterogêneo(resquício fecal), apresentando peristaltismo evolutivo. Duodeno regular. Sem sinais de espessamento e/ou processo obstrutivi.
    Rins: deslocados,simétricos,etc...
    Pesquisando, entendi que nem sempre um bodulo heterogêneo hipoecogênico é maligno, e tentando compreender o laudo, tive esperanca de que pudesse não ser um tumor, mas o que sei eu, sendo que não sou da área e só entendo o que me falam ou o que leio na internet. :) De qualquer forma gostaria de ter sua opinião, estou meio desesperada, pq o veterinário ja quer marcar a cirurgia para a semana que vem. O problema é que o Pingo é cardíaco, ele toma Fortecor tdos os dias ja faz uns 2 anos, e a cirurgia,tanto como o pós cirúrgico são perigosos. Semana passada quando estava voltabdo c ele do exame de sangue ele teve um rápido desmaio na rua, o vet disse que era uma 'convulsãosinha', mas p mim foi mais um desmaio rápido mesmo, segundo ele tem a ver com o coração, ja que fazia calor. Eu confio no vet mas estou com um pé atrás, por isso preciso muito da sua opinião, se tem alguma chance de isso não ser um tumor, já que o vet não deixou dúvida que era um...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, acho importante mencionar que o Pingo é porte médio/pequeno, pesa em torno de 12kg, e um tumor de 6 x 5 cm estaria tomando o baço dele inteiro.. :( ele tbm fez uma cirurgia de hernea + castração e desde então el tem um caso sério de incontinência urinária... não sei se tem a ver, mas talvez seja importante...

      Excluir
    2. Olá Carolina,

      Obrigada pela participação.

      Primeiramente ressalto o fato de que nenhum método de diagnóstico não-microscópico é capaz de detectar ou descartar uma neoplasia. Se o médico veterinário responsável pelo caso acha importante remover o nódulo e/ou o baço o quanto antes e você não está de acordo com essa posição, você deve levar seu paciente para uma nova consulta com outro profissional, talvez um oncologista ou alguém com prática clínica na área para que você sinta mais segurança.

      Os anestésicos utilizados atualmente na medicina veterinária são os mesmos usados na medicina (humana) e com os devidos cuidados de procedimento e exames pré-operatórios suficientes, o cardiopata idoso é anestesiado com relativa segurança.

      Lembre-se apenas de que o baço não é um órgão essencial e às vezes o risco de metástase tumoral vindo dele é grande, por isso a postura mais incisiva do seu clínico quanto à cirurgia.

      Espero que tudo fique bem e que o nódulo seja, no mínimo, benigno.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Fernandaaaa!
    Por favor, preciso MUITO de ajuda!
    Tenho um casal de pinschers.
    O macho fará 12 anos nesse dia 24 de dezembro! A mais ou menos 6 meses ele começou com um disturbio de lamber o chão, levei ao veterinário que me disse ser algo comportamental (nao realizou nenhum exame). Pois ele continuou, e levei novamente ao veterinário, pois pra mim ele precisaria tomar alguma vitamina. (Obs: moramos em apto ele lambe o piso, principalmente o rejunte e uma parede onde só está rebocada sem pintura.) o veterinário entao me falou ser por causa do tártaro dos dentes e realizamos a limpeza onde ele arrancou um canino porque estava com algum problema. Depois disso ficamos 20 dias com ele usando um colar tibetano e comendo patê da pedrigree, ele até enjoou e nao quis mais comer, mas nessa época perdeu peso e bastante massa, inclusive muscular. (Ele ja é magro 2kgs a vida toda) também o vet mandou que trocassemos de ração junior para senior. Davamos a royal canin premium junior de raças pequenas e passamos para a royal x-small senior 12+. Porém a lambeção continuou, até que começamos com vitamina glicopam gold e mesmo assim continuou a lamber. Logo em seguida ele parecia inchado, levamos ao vet realizaram exame de sangue que segundo eles nao indicou problema (a principio pelo que entendi eles averiguaram para problemas no figado apenas) entao realizamos um ultrassom que mostrou o baço aumentado mas homogêneo. E ele estava anemico. E logo observamos pus amarelo saindo de uma das narinas dele. Ele ficou internado um final de semana. Onde retirou outro canino infeccionado, fez soro e uma transfussão de sangue por causa da anemia. Mas o sangue nao durou muito. Então realizaram outro exame de sangue pra verificar aplasia medular. A medula dele estava no limite pra parar e o sangue algo que o mínimo é 15 estava em 10, mas ele nao poderia repetir a transfussão por causa da tipagem sanguinea. Ele também estava com uma infecção alta. Deram então um remédio pra estimular a medula e um antibiótico de dose unica que valeria por 15 dias. Nesses dias todos estavamos alimentando com seringa com patê hills A/D. Ele melhorou, a linguinha estava bem mais rosa. Mas agora começou a piorar. A lingua esta mais clara e já notasse que ele voltou a ficar inchado! Continuamos dando a glicopam gold que nao tem ferro e nem fósforo! O QUE PODE SER? Por favor!!! Me ajuda! laurinhahf@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laurinha,

      Primeiramente recomendo que você troque estas idéias com um clínico veterinário em uma consulta formal. Diante do quadro que você discorre existem muitas possibilidades e somente com uma avaliação cuidadosa ao vivo é que se pode chegar a alguma conclusão.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  44. Boa tarde Fernanda, achei seu site procurando na internet sobre baço aumentado.
    A minha Yorkshire tem 6 anos e pegou doença do carrapato. Ela é bem pequena e frágil. Tratei-a por 21 dias com Doxiclina, Hemolitan Pet e Prediderme. Após o tratamento foi feito uma nova ultra que constatou que o baço ainda estava aumentado e ela ainda estava caidinha. Usou o doxiclina por mais 10 dias e o Hemolitan tb. As plaquetas voltaram ao normal mas hoje, após 45 dias do início do tratamento, ela vomitou sangue e corri fiz uma ultra e o baço ainda se encontra aumentado. Mas as plaquetas estão boas 255mil. Será que pode ser ainda a doença? Ela está com o sistema imunológico baixo? Deu Linfócitos 858. Deu Linfopenia, Policitemia e Neutrofilia Relativa.
    O que eu posso dar a ela para fortalecer o sistema imunológico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Krika,

      É interessante voltar ao clínico veterinário que atendeu sua paciente da primeira vez, pois ele pode lhe auxiliar melhor na conduta com sua cachorrinha, já que ele terá o histórico completo da anamnese e dos exames dela.

      Não dê nenhuma medicação sem antes consultar um médico veterinário. Às vezes a tentativa de ajudar pode causar ainda mais efeitos indesejados se não houver a orientação adequada de alguém apto a isso.

      Obrigada, abraços e boa sorte!

      Excluir
    2. Bom Dia fernanda, agradeço muito ter me respondido rapidamente.
      Eu liguei ontem mesmo para a vet e ela disse que o protozoário fica dentro de uma hemácea dentro do baço e que ja medicou bastante e se o baço não diminuiu talvez fosse bom retirar o baço.
      Fiquei apavorada. Estou apavorada. Disse a ela que não quero submetê-la a uma cirurgia. Ela é bem fraquinha. Daí disse que ela estava com imunidade baixa, passou Promun Dog e Tinha uma lama no fígado, passou Legalon e Gaviz para o estômago.
      Não sei mais o que fazer....

      Excluir
    3. Eu já usei seus conhecimentos em 2013, quando minha cadela ficou à beira da morte. Ela tinha sido diagnosticada com Hiperadrenocorticismo, só que fez um outro exame mais completo, um que coleta o sangue 3 vezes e injeta uma substância nela. E o resultado foi negativo. Saí daquele veterinário e fui para essa que estou hoje e pasme, o problema dela na época era pneumonia.
      Tudo pq não pediu um RX. Agora ela está com esse problema difícil da doença do carrapato. Não quero extrair o seu baço. Me ajude!

      Excluir
    4. Krika, obrigada pela confiança. Realmente eu não tenho muito como ajudá-la além de orientá-la a procurar um médico veterinário (seja este que já atende, seja outro). Via internet eu não tenho como fazer uma consulta, especialmente porque atualmente minha competência é apenas imaginológica e não mais clínica médica.
      Fique tranquila que tudo há de se resolver da melhor maneira possível.

      Abraços, Fernanda

      Excluir
  45. Oi Fernanda,
    Minha cachorra tem 8 anos e após fazer um ultrassom foi descoberto que ela tem uma pedra bem grande entre o baço e o figado e o baço também aumentou.
    A veterinária disse que não tem o que fazer.Qual a sua opinião sobre esse caso?
    Desde já muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo, obrigada por participar do blog. Eu não tenho como saber o que está acontecendo com sua cachorrinha, porque uma pedra no meio do caminho, sem estar localizada em um órgão específico é algo muito estranho para mim.

      Excluir
  46. Obrigada pela atenção,conversarei mais com a veterinária sobre o caso , para ver como vamos resolver este problema.

    Abraços

    ResponderExcluir
  47. Oi Fernanda,
    Tenho um boxer de 10 anos que após biópsia foi diagnosticado com hemangiossarcoma e mastocitoma. Fiz biópsia de um carocinho na pele e de uma verruga que sangrava. Está na segunda sessão de quimioterapia. Não está tendo nenhum mal estar. Brinca , come bem, nem parece que tem câncer. Vai retirar o baço agora em janeiro pois apresentou nódulos. Sei que a probabilidade de ser ó hemangiossarcoma é grande. Gostaria de saber quanto tempo vive um animal com esse tipo de câncer. 6 meses ou menos? Já chorei muito. Mas agora aproveito o máximo sua companhia pois não sei até quando vou tê-lo por perto. Quanto tempo até uma metástases? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rejane,

      Obrigada por participar. Sinto muito pelo diagnóstico do seu cachorrinho. Infelizmente a raça Boxer parece ter uma tendência ao aparecimento de neoplasias deste tipo, especialmente quando atingem uma idade avançada.
      Assim como na medicina humana, na medicina veterinária é impossível precisar qual a expectativa de vida de um paciente portador de algum tipo de câncer.
      Você está fazendo exatamente o correto dando qualidade de vida a ele junto com seu amor e carinho e os cuidados veterinários adequados. Aproveite mesmo seus momentos juntos e curta um dia por vez. Enquanto ele estiver comendo, brincando e tendo uma vida plena, ele estará feliz.
      Abraços e boa sorte!

      Excluir
    2. Obrigada Fernanda! Bom Natal! Infelizmente esses lindinhos não vivem o tempo que gostaríamos! Foram 10 anos de muito amor! Sempre me recebe com alegria e com um chinelo na boca! O que mais me espanta é a ausência de sintomas! Se não tivesse ido no vet não saberia! Espero que quando sua hora chegar seja bem tranquilo e sereno!

      Excluir
    3. Espero que chegue até seu aniversário de 11 anos em março do ano que vem! Vou dar muitos presentes e beijos! 😃

      Excluir
    4. Obrigada Rejane! Feliz Natal e ótima chegada de 2016!!!

      Estou torcendo pelo seu bebê canino para que ele seja feliz sempre :)

      Excluir
  48. Olá Fernanda! Agradeço por ter me respondido! Graças a Deus meu cachorro sobreviveu e descobrimos o real problema. Ele estava com anemia hemolítica acreditamos que a causa seja o remédio para o coração que ele toma a uns 2 anos já o Fortekor, pois a substancia usada em casos raros pode causar anemia hemolítica. Porém acho também que pode ser por propilenoglicol que está presente no Bemazepril (Substância do Fortekor) e também em cetoconazol e suplementos vitaminicos, Pois esse ano ele teve uma otite quase que incurável durante uns 4 meses, quando curava em seguida voltava, e medicamos com o Otoguard que é feito com cetoconazol! Dei também além do glicopam gold, o aminimix pet e o hemolitan, será que há chances deles terem o propilenoglicol? No rótulo de nenhum deles diz, mas tenho essa desconfiança então continuo dando o glicopam. Como ele estava muito fraco hemacias em 5% (estava em 3% quanto entrei em contato contigo) e o hematrócrito de 10 passou para 17% agora já esta em 20%. O veterinário sugeriu a retirada do baço com medo dele debilitar mais e daí não ter mais condições de realizar a cirurgia, mas segundo ele agora o risco ainda era grande, cerca de 50% de chance de sobreviver. Com medo então começamos a medicar com Prednisolona 20mg ele toma 0,5ml por dia com duas doses de diurético por dia devido ao coração. O que você acha? Muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laura,

      Que informações interessantes você trouxe, eram desconhecidas para mim até agora. Eu conheço a anemia hemolítica auto-imune, que é condição patológica do próprio organismo e não iatrogênica. No caso da anemia hemolítica auto-imune, realmente a remoção cirúrgica do baço pode ser parte do tratamento.

      Quanto ao animal estar ou não debilitado para a cirurgia, isso seria interessante conversar com o próprio anestesista, que, ciente da situação do paciente, saberá como conduzir melhor o procedimento para torná-lo o mais seguro possível.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
    2. Fernanda agradeço muito sua atenção em nos responder aqui! Sei que como não atende o animal, não pode realizar um diagnóstico mas sempre bom outras opiniões.

      Meu cachorro teve de tudo um pouco, foi um ano bem confuso em relação a ele, sendo que tenho um casal, os dois são pinschers, porém a fêmea é filha do macho, e a mãe dela era de uma amiga minha. A cadela já teve diversos problemas, simples mas teve, e ele nunca ficou doente, acho que acumulou e teve tudo junto esse ano daí! hahaha! Ela foi castrada já filhote e ele foi castrado esse ano quando começou a lambeção de chão e fomos arrancar o canino infeccionado o veterinário (que estava atendendo ele pela primeira vez, eu havia trocado) sugeriu a castração em questão do stress do macho, então realizamos a castração.

      Então no dia que ele foi internado mesmo estava com o outro canino infeccionado e o exame de sangue mostrou infecção ALTA ele tomou se não me engano 30 dias de antibiótico injetavel. E nada resolvia o problema, primeiro foi sugerido uma aplasia medular, devido ao estado dele e que ele não melhorou nem com a transfussão que recebeu do melhor cachorro doador, esse então era o palpite, foi feito exame de sangue e a medula dele estava no limite para parar segundo os veterinários, então ele tomou uma medicação (não sei qual), no dia da medicação ele já estava reagindo somente pela comida da Hills a A/D e por Fé mesmo, porque o que pedimos por ele, só Deus! E então com a medicação ele até voltou a latir, mas começou com os sintomas do coração e como estava a diiiias sem o remédio voltamos a dar e depois de 5 dias de remédio ele decaiu totalmente, mesmo assim eu não havia feito essa "ligação" porém o caso dele então não fazia mais sentido com a aplasia e voltamos a estaca zero! Até que um dia me deu o estalo de ser o remédio do coração e fui pesquisar e na bula dele consta casos rarissimos de anemia hemolítica por toxinas; Levo em uma clinica que tem 3 vets e os 3 já estavam tentando diagnostica-lo mas sem sucesso, até que foi então considerado a anemia hemolitica pelo bemazepril, mas para eles era um "tiro no escuro" pois eles nunca viram ou ouviram falar de um caso desses, mas começamos a medicação e agora ele está latindo e até correndo já! Mas o hematrócrito ainda esta em 20% mas sei que a recuperação é bem lenta.

      Sobre a retirada do baço o risco realmente seria da anestesia, pois o que foi passado para nós é que como ele estava com o sangue muiiiito escasso (chegou até a necrosar as "bordinhas" das orelhas dele, acredita? uma peninha!) poderia acontecer que a anestesia não tivesse sangue suficiente para se "ligar" e isso causaria a morte dele! foi bem critico mas optamos pela medicação mesmo, e agora ele está mais forte, quem sabe futuramente daí até retire o baço, mas tomara que não seja necessário.

      Outra coisa que me chama muito a atenção é que tudo começou no mês de maio, a lambeção e os primeiros sintomas, e nesse mesmo mês minha mãe começou com um quadro de purpura! Porém só descobrimos mais tarde também sobre o que se tratava.

      Mais uma vez obrigada pela atenção!
      Um ótimo fim de ano para você e sucesso na sua vida!
      Que Deus te abençoe.

      Excluir
    3. Quantas coisas, hein, Laura? Pelo jeito seu ano teve agitos veterinários sem fim!

      Obrigada por compartilhar essas informações aqui, tenho certeza de que assim como eu, outras pessoas e profissionais se beneficiarão do caso do seu cãozinho.

      Que bom que afinal seu dog está caminhando para uma melhora. Realmente torço para que ele fique bem o quanto antes e que todo esse processo de diagnóstico , tratamento e estabilização ou cura do quadro seja o mais ameno e agradável possível, tanto para ele quanto para você e para os veterinários envolvidos no caso.

      Que seu Natal seja feliz e próspero e que o próximo ano seja ótimo e cheio de saúde para você e para todos os seus!

      Abraços!

      Excluir
    4. Oi Fernanda gostaria de saber o contato da Laura Friedrich, meu cão está com o mesmo problema dela.
      Por favor entre em contato comigo. URGENTE!!!!1

      Excluir
    5. Karla me passa seu e-mail, que te mando um oi! ;)

      Excluir
  49. Doutora, minha cadelinha tem 12 anos e é uma poodle. No meio da semana passada, parece que ela caiu da cama e ficou meio paradona por uns 4 dias... Tratamos ela com um anti-inflamatório, mas que deu várias reações e ela tá se recuperando agora das reações. Fiz uma US e todos os orgãos deram normais, exceto o baço. Está assim:
    Baço com dimensões preservadas, com contornos regulares e parênquima normoecogênico homogêneo. Observou-se em topografia de hilo, duas imagens circulares, hiperecogênicas (mielolipoma?). Sugiro controle sonográfico.

    O que seria isso? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danielle,

      Mielolipoma é um tipo de cêncer benigno composto de material predominantemente gorduroso. A única maneira de se saber exatamente de que tipo de alteração está se falando é coletando uma amostra deste material e enviando para análise microscópica.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Muito obrigada Dra.

      Excluir
  50. Bom Dia Dra!Minha shytsu 4 anos fez ultrasom e deu seguintes resultados o chekap.Tudo bem para todos orgãos e Problema Renal:Rins simétricos. dimensões preservadas e contorno regular. ECOGENICIDADE levemente aumentada.Discreta perda da arquitetura renal,limite corticomedular e cálices renais poucos definidos,divertículos renais preservados,pelve renal preservada,Imagem compatível com Nefropatia bilateral.Sugere-se acompanhamento sonográfico. VESÍCULA URINÁRIA:moderada Repleção,formato anatômico preservado,parede preservada.contorno regular,conteúdo Anecóico.A veterinária explicou mas tenho dúvidas.Não sou tão leiga assim e por esta razão parti para uma pesquisa na Internet e achei seu blog.Curitiba é uma cidade modelo e gostei da forma que explica o problema e se faz entender.Estou muito preocupada.Tenho problemas renais desde 9 anos de idade.Tenho 63 anos sou portadora de 1/5 de rim único. Sofri muito com problemas renais muitas infecções urinárias cronicas que não sabiam como curar. Aos 27 anos conheci um urologista em Belo Horizonte onde fui diagnosticada: portadora de CALCULO CORALIFORME.Daí pra frente eu fiquei supervizionada por este grande mestre (Dr.Aparício de Assis) Urologia e Nefrologia do Hospital das Clínicas de B.H.Com o passar dos anos este competente médico faleceu e fiquei nas mãos de um dos médicos da sua Equipe.Assim é minha vida até hoje supervisionada e alimentação adequada e vou vivendo para não ser chegar a hemoliálise.Sigo meus limites portanto não sofro mais.Fiquei triste com o diagnóstico dela. Percebi algo Diferente na minha pequena BiBi:não manifesta Cio de 6 em 6 meses e não menstruava.Então procurei a Clínica onde ela nasceu deu sua 1ª cria e frequenta.Clinica esta que possui bons médico mas que falta vários aparelhos para exames e estes são TERCEIRIZADOS.Quanto ao Ùtero e Ovários tudo normal: "não foram visibilizadas sonografias em vasos e linfonodos abdominais,nem topografia de útero e ovários".O diagnóstico foi que ela possui o chamado "CIO Silencioso".Que em alguma raças é normal.NUNCA ouvi falar até então.Gostaria da sua opinião quanto a isto.Se está correto.Deu problema RENAL.Estou preocupada.Gostaria de entender melhor.Uma explicação que eu entenda para que possa cuidar da minha BiBi que deve estar sofrendo.A veterinária pediu para suspender toda a alimentação dada até hoje.A partir de hoje tem que usar uma ração renal.Indicou Vet Life Renal Farmina para insuficiência renal.Podecomer 2 frutas que ela adora Mamão e maçã.Suspendeu todos petiscos.Minha alimentação para insuficiência renal existe um alimento que meus médicos pedem para comer muito:inhame.Por ser sido portadadora e propensa do terrível Cálculo Coraliforme tenho que beber muita água (3 litros) para o 1/5 renal funcionar bem.Foi abolido todo alimento que possui ocxalato e fosfato de cácio.etc.Não sofro c/a restrição.Um alimento que me faz bem é um arroz integral com sal light e óleo de girassol.Eu dava à Bibi as vezes misturada na ração quando ela estava enjoadinha pra comer só ração.Gostaria de saber que agora com a dieta tão restrita posso dar um pouco do arroz integral para ela e tb o inhame A veterinária não soube passar uma dieta.Não tem conhecimento de quais alimentos ela pode comer sem ser a ração.Aguardo sua orientação Dra.Gostaria da sua opinião.Foi um prazer ter conhecido seu Blog.Foi providencial.Me ajude a curar minha companheira de vida:BiBi.Ganhei há 3 anos e meio de uma amiga pq tive Depressão e Pânico devido a um acidente que fui vítima e que me deixou parcialmente deficiente.Foi a doce BiBi que me curou.Somos inseparáveis.Vivemos uma para outra.Estou triste em saber que minha pequena sofre do mesmo mal que eu:Rins.Pra dizer a verdade...estou estupefata.C'est la Vie! No aguardo agradeço pedir a Deus que a senhora me responda.meu e-mail murianapereira@gmail.com Obrigada. anamaria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anamaria,

      Obrigada por escrever no blog (www.ultrassomveterinario.com) suas dúvidas e contar um pouco da sua história.

      Vamos por partes, começando pelas alterações dos rins da sua Bibi. Os shih-tzus são cães de uma raça geneticamente predisposta a problemas renais, especialmente um chamado displasia renal, que pode ou não resultar em dificuldades de função dos órgãos. Eu digo pode ou não, porque necessariamente haverão alterações visuais nos rins do paciente, mas isso não implica necessariamente em alteração da função destes órgãos. Para se determinar se há um problema funcional renal, deve-se fazer um exame de sangue voltado para os rins, com pelo menos a dosagem de creatinina e uréia.

      Este problema que ela pode ter não é nada semelhante ao que a senhora apresenta. A predisposição à formação de cálculos envolve outros mecanismos.

      Se a médica veterinária que cuida dela acha interessante que ela coma uma ração para pacientes renais, a Farmina (essa que senhora está oferecendo a ela no momento) é realmente uma boa opção. Se ela gosta de frutas, continue oferecendo as favoritas. Pode também oferecer tranquilamente água de coco uma vez por semana. Chás como camomila, erva-doce e funcho também podem ser oferecidos geladinhos. Ela comendo isso, a senhora não precisa complementar a ração com mais nada, mas se a senhora gosta, arroz e peitinho de frango desfiado sem tempero e com apenas um pouco de óleo e sal podem ser bons de vez em quando. Quando está muito quente a senhora pode colocar pedrinhas de gelo na água dela para estimular o consumo.

      Quanto ao cio silencioso, ele existe e é sim bastante comum em cadelas de pequeno porte como no caso da sua Bibi. Cio silencioso nada mais é do que um cio normal que não apresenta sangramento. O sangramento vaginal das cadelas durante o cio é diferente da menstruação e por isso não é tão necessário que ele apareça em todas as vezes que ela entrar no cio. Não se preocupe com isso, mas pense na castração assim que for possível para evitar problemas futuros como piometra, câncer de útero e câncer de mama.

      No mais espero que a senhora fique bem e que curta muito a maravilhosa companhia da sua Bibi!!!

      Abraços e boa sorte,

      Excluir
  51. Olá, Dra estou o com duvidas sobre o estado do meu cão , so me pedem exame e nenhuma resposta concreta, o baço esta com nodulo esplenico, nos exames de hemograma plaquetas normal , foi complementar o exame de Radiografia de torax exploratorio e tbm esta td bem, como posso agir nessa situação?? obrigada

    ResponderExcluir
  52. Olá, Dra estou o com duvidas sobre o estado do meu cão , so me pedem exame e nenhuma resposta concreta, o baço esta com nodulo esplenico, nos exames de hemograma plaquetas normal , foi complementar o exame de Radiografia de torax exploratorio e tbm esta td bem, como posso agir nessa situação?? obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciane,

      Sinto muito pelo que está acontecendo com seu cão.

      A medicina veterinária é uma ciência bastante difícil justamente pela dificuldade de se lidar com um paciente que não fala, por isso é tão dependente do diagnóstico auxiliar, seja ele exames de sangue, seja exame de imagem. Muitas vezes a não alteração é justamente o ponto que faltava para uma conclusão.

      Se o médico veterinário responsável pelo caso está seguindo este caminho, tenha tranquilidade de saber que é porque ele está querendo preservar ao máximo a integridade do seu cão e entregar a você o diagnóstico mais preciso e seguro.

      Excluir
  53. Bom dia, Fernanda!
    Encontrei seu blog pesquisando sobre hepatomegalia, por constar no laudo do raio x, da minha cadela Belinha, de 10 anos. Ela não quer comer há mais de uma semana. Há quatro dias ainda aceitava pedacinhos de fígado cru mas, ontem à noite, após tomar ferro, receitado pelo médico, ela vomitou e não quer mais nada! Hoje está triste. Ontem fizemos uma ultra-sonografia e foi vista uma infecção no útero também, para a qual foi indicado um antibiótico. Não sei o que fazer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula,

      Obrigada pela participação.

      Muitas vezes alterações de imagem não significam necessariamente alteração de função, ou seja, um órgão como o fígado pode estar totalmente diferente do esperado no exame de ultrassonografia, mas sua função (mensurada por exames de sangue) pode estar intacta. Outras vezes você pode encontrar uma profunda alteração de função nos exames de sangue, mas nenhuma alteração de imagem.

      A hepatomegalia (aumento do tamanho do fígado) pode estar relacionada à diversas coisas que variam desde acúmulo de gordura no fígado até problemas cardíacos congestivos. Animais obesos, com sobrepeso ou problemas endócrinos (diabetes, hiperadrenocorticismo/cushing...) podem apresentar hepatomegalia sem que isso necessariamente comprometa o funcionamento do órgão.

      Quanto à infecção no útero, geralmente chamada piometra na medicina veterinária, o tratamento costuma cirúrgico devido à dificuldade de penetração do antibiótico no útero. A cirurgia é igual à castração, removendo útero inteiro (corpo e cornos) e os dois ovários. Pode acontecer de haver apenas um pequeno acúmulo de conteúdo intraluminal em útero somente na porção caudal do corpo, daí caracterizando mais uma vaginite ascendente, quando então o médico veterinário pode receitar antibióticos via oral. Tudo depende da apresentação clínica do paciente. Cada caso é único e individual e fica a critério do responsável clínico a decisão pela terapia mais adequada para o paciente em questão.

      Recomendo que você converse tranquilamente com seu médico veterinário, expondo suas dúvidas e aflições em relação ao caso para que juntos vocês possam decidir qual a melhor conduta no caso dela.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  54. Boa noite Fernanda
    Acabamos de descobrir o seu blogue estamos em Portugal e estamos desesperados,pois temos uma poodle com 13 anos e sempre foi muito saudável fazia visitas 2 vezes por ano ao veterinário e sempre esteve tudo bem, até que á 3 semanas atrás ela vomitou um liquido amarelo, levamo-la ao vet foi feito uma ultra sono grafia e foi detectado um tumor no baço e outro num rim, existe a possibilidade de uma cirurgia com prognóstico reservado devido á idade dela. Foi feito analise ao sangue tudo normal excepto ALP-PS 104 U/L assim como GTP-PS 78 U/L. Não sabemos muito bem que valores são estes, mas notamos que ela nestes últimos dias tem estado mais apática, embora continue a ter apetite. emagreceu cerca de 1 Kg nestas 3 semanas, é desesperante quer eu quer meu marido choramos o dia todo pois ele é a nossa menina á 13 anos.
    As nossas duvidas são; será que ela tem dores? Vale a pena arriscar a cirurgia? o vet não garante nada apenas diz que talvez prolongue a vida por mais 6 meses, pois trata-se do baço e do rim que tem que ser extraídos.
    Muito obrigado
    Ângela (Portugal)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ângela,

      Obrigada por escrever.

      Ainda que essa seja minha opinião pessoal, resolvi compartilhar.

      Sou sempre a favor de todas as tentativas possíveis para a melhora ou manutenção da qualidade de vida do paciente. Então, se sua cadelinha está sentindo dor e desconforto pela presença do câncer, e existe a possibilidade deste incômodo ser removido cirurgicamente, eu removeria.

      Seis meses na vida de um cachorro equivalem a anos na vida de um ser humano. Sem contar que muitas vezes esse prognóstico pode ser apenas uma expectativa e seu cão sobreviva por mais tempo ainda.

      Quanto à dor, dizem que todo câncer dói. Eu não saberia quantificar ou exemplificar isso, mas este é o relato que ouço de pacientes humanos com a mesma doença.

      É melhor para você e para ela saber que todas as tentativas foram feitas.

      Abraços,

      Excluir
  55. Boa tarde, Fernanda!
    Gostaria muito que compartilha-se comigo seus conhecimentos como veterinária e amiga.
    Tenho um Pitbull com 13 anos de idade. Aparentemente pelo que entendi dos exames da coluna apresenta diminuição do espaço intervertebral, opacificação do forame e mineralização no espaço intervertebral, sugerindo calcificação do anel fibroso. Mas o que me preocupou foi o resultado do ultrassom.
    Figado: dimensões preservadas, contorno regular, parênquima homogeneo, ecogenicidade preservada,vasos com calibre preservado. Vesícula biliar: repleção adequada, formato preservado, contorno regular, parede preservada, conteúdo anecóico. (o que significa isto?)

    Baço: dimensões preservadas, contorno regular, parênquima homogeneo, normoecóico, vasos com calibre preservado.

    Rim esquerdo: formato anatômico preservado, dimensões preservadas, contorno regular, relação corticomedular discretamente alterada (o que isto significa?) e presença de calcificações nos divertículos (o que isto significa?)

    Rim direito: formato anatômico preservado, dimensões preservadas, contorno regular, relação corticomedular discretamente alterada. Presença de calcificações nos divertículos. Nefropatia? Correlacionar com exames complementares.

    Adrenais: não visualizadas.

    vesícula urinária: pouco repleta, formato anatômico preservado, contorno regular, parede espessada com presença de formação heterogênea medindo em torno de 5cm x 4cm, em parede ventral, se estendendo até região de trígono e uretra, conteúdo anecóico (o que significa?)
    próstata preservada.
    Os demais exames de sangue (completo) deu bons resultados e o de urina: urinálise alteração somente flora bacteriana: moderada; cultura e antibiograma: ausência de crescimento bacteriano em Agar Sangue e Agar MacConkey, em 48h, a 37ºC
    Bioquímica: alteração Fosfatase Alcalina (FA) 426 sendo que valores normais são 20 - 156 UI/L
    Agradeço muito sua atenção! Pois o Thor é muito carinho e um bom companheiro. Não quero vê-lo sofrer!
    Abraços, Tânia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tânia,

      Obrigada pela participação.

      Algumas de suas perguntas envolvem termos técnicos, como por exemplo anecóico, que quer dizer "aquilo que não produz eco"; logo, significa algo visto como uma mancha escura na tela do aparelho de ultrassonografia. Nada com que se preocupar. Todos esses termos são usados para que outros ultrassonografistas possam se entender entre si e por isso são parcialmente restritivos, pois quando passamos a informação de um laudo adiante encontramos um médico veterinário, que interpretará os resultados conforme seus conhecimentos médicos e o histórico do paciente que ele está tratando.
      Então, recomendo que você vá ao médico veterinário que atende seu cãozinho e peça para que ele lhe ajude a desvendar esse mapa do seu Thor, explicando para você os resultados conforme for melhor para seu entendimento.
      Tudo estará bem :)

      Excluir
    2. Boa tarde, Fernanda!
      Estava ansiosa pela sua resposta! Procurei pela sua orientação devido minha insegurança em relação a posição e informações passadas pela veterinária que atendeu o Thor.
      Ela disse-me que o caso dele é grave, caso cirúrgico, necessitando fazer tomografia e biópisia, que ele tem um tumor na bexiga.
      Isto me apavorou! O Thor está velhinho e não quero que ele passo por situação que não garantirão uma melhora do problema citado por ela.
      Visto que os exames de sangue e urina não mostraram nada, a não ser como mencionei uma alteração fosfátase alcalina. Não que meu animalzinho sendo um experimento cirúrgico e de tentativas que não me dão garantias. Não sei se a Senhora consegue me entender. Eu queria uma outra opinião!!!
      Mas desde já agradeço imensamente sua atenção, Tânia.

      Excluir
    3. Olá Tânia,

      Então, eu acho realmente muito válido ir atrás de uma segunda opinião se a senhora está insegura sobre a postura do médico veterinário que vem atendendo seu cão até agora. A senhora pode migrar de veterinário e pedir uma segunda avaliação, tendo em mente que o médico que assumir o caso a partir de agora irá recomeçar todas as avaliações que o anterior pediu, pois as doenças e acometimentos podem oscilar para melhor ou para pior conforme o tempo e os eventos que acontecem na vida do paciente.
      A fosfatase alcalina (FA) pode sim estar aumentada em casos de neoplasia. A biópsia é de grande utilidade em casos de suspeita de câncer, pois o pedacinho retirado para análise será avaliado no microscópio para que o profissional veja o tipo de célula que está envolvido na alteração. O câncer tem células características e únicas que só podem ser vistas neste tipo de exame.
      Procure uma segunda opinião sim, vá a uma nova consulta, mas vá de mente aberta para ouvir mesmo aquilo que não seja exatamente agradável. O Thor sabe e entende que você só está procurando o melhor para ele :)

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
    4. Boa tarde!
      Já procurei outro veterinário e ele me explicou tudo. Incusive suas palavras estão bem parecidas com a dele. A principio vamos cuidar do Thor com medicação e retornar em 15 dias para nova avaliação e novos exames, que serão realizados em laboratório diferente.
      Às vezes tudo que o dono do animalzinho quer é saber que não está sozinho nesta difícil situação.
      Agradeço sua preciosa atenção! Abraços, Tânia.

      Excluir
    5. Que bom Tânia. É isso aí. Tenho certeza de que ele está bem cuidado.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  56. Olá Fernanda!
    Por gentileza podes entrar em contato comigo via e-mail? Daí posso te explicar melhor...
    tenho urgência e prometo não incomodar muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura, pode me mandar e-mail no fernanda.vet@hotmail.com.

      Obrigada :)

      Excluir
  57. Boa tarde Dr. Fernanda,
    Gostaria tanto de uma opinião sua. Tenho um dachshund, macho de 13 anos, ele andou perdendo um pouco de peso e sem apetite, comia muito pouco, levei ele a uma consulta e foram feitos os exames abaixo, após os resultados me foi passado pelo médico veterinário que ele terá que passar por uma cirurgia para retirada do baço e do nódulo que tem no fígado.
    Doutora ele já é um senhor, e eu sei que toda cirurgia tem risco, diante desses exames é essa mesmo a opção que tenho?
    Mexer em dois órgãos assim não é mais perigoso ainda?


    Hemograma

    Hemácias: 6.680.000 /μL (5.500.000 a 8.500.000 /μL)
    Hemoglobina: 15,4 g/dL (12 a 18 g/dL)
    Hematócrito: 46,3 % (35 a 55 %)
    VCM: 69,31 fL (60 a 77 fL)
    CHCM: 33,26 g/dL (31 a 36 g/dL)
    Leucócitos: 4.600 /μL (6.000.000 a 18.000 /μL)
    Basófilos: 0 /μL 0 % 0 % (0 a 200 /μL 0 a 1%)
    Eosinófilos: 184 /μL 4% (0 a 1.800 /μL 0 a 10%)
    Neutrófilos Bastonetes: 0 /μL 0% (0 a 500 /μL 0 a 3%)
    Neutrófilos Segmentados: 3173 /μL 69% (3.600 a 13.800 /μL 60 a 77%)
    Linfócitos: 1012 /μL 22% (720 a 5.400 /μL 13 a 30%)
    Monócitos: 230 /μL 5% (0 a 1.800 /μL (0 a 10%)
    Plaquetas: 256.000 /μL (180.000 a 500.000 /μL)
    Proteína Plasmática Total: 7,8 g/dL (5,8 a 8,2 g/dL)

    Observações: Hemograma com leucopenia por neutropenia segmentada.
    Presença de aglutinados plaquetários. (++)
    A presença de aglutinados plaquetários subestima a contagem total de plaquetas.

    Análise Bioquímica:

    ALT 93 U/L (10 a 88 U/L)
    AST 48 U/L (10 a 88 U/L)
    Creatinina 0,98 mg/dL (0,5 a 1,5 mg/dL)
    Fosfatase Alcalina 301 U/L (20 a 150 U/L)
    Ureia 24 mg/dL (15 a 65 mg/dL)

    LAUDO DE ULTRASSONOGRAFIA ABDOMINAL

    FÍGADO: Dimensões mantidas, parênquima homogêneo e ecogenicidade normal. Presença de estrutura nodular em região de lobo medial, com contornos irregulares, bem delimitada, heterogênea, pouco vascularizada, medindo aproximadamente 7,31 x 8,20cm. Presença de estrutura nodular localizada lateralmente à vesícula biliar,hiperecogênica com aspecto heterogêneo com algumas cavitações, medindo 1,87 x 2,44 cm (Neoformação hepática). Vesícula biliar repleta, paredes espessadas (0,30cm) e conteúdo anecogênico com muita lama biliar (Colangite).

    BAÇO: Dimensões preservadas, contornos irregulares em região de corpo esplênico, com evidente alteração de contorno formando área arredondada (cerca de 2,03 x 2,90cm) e de contornos pouco definidos, parênquima homogêneo e ecogenicidade normal (Neoformação).

    RINS: Em topografia habitual, simétricos, contornos regulares, parênquima homogêneo e ecogenicidade preservada. Relação córtico­medular mantida. Presença de cristal em rim
    esquerdo. Não há sinal de hidronefrose.
    ESTÔMAGO E ALÇAS INTESTINAIS: Estômago pouco repleto com conteúdo gasoso, estratificação das camadas preservadas. Alças intestinais sem evidência de alteração.
    BEXIGA: Repleção adequada, paredes finas e conteúdo anecogênico.
    PRÓSTATA: Dimensões mantidas, contornos regulares, parênquima homogêneo e ecogenicidade normal.
    Ausência de linfoadenomagalia.

    Presença de pequena quantidade de líquido livre abdominal de baixa celularidade ao redor de baço e entre lobos hepáticos (Ascite).

    Muito obrigada,

    Hellen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hellen,

      Obrigada pela confiança de enviar seu caso.

      Com os métodos atuais de anestesia inalatória, um dos principais riscos na cirurgia de idosos ou pacientes doentes crônicos foi minimizado. Ou seja, se for o medo de anestesiar seu bichinho devido à idade, tomando os devidos cuidados pré-operatórios e utilizando-se uma devida técnica anestésica, você pode ficar mais tranquila.

      Então, se o médico veterinário responsável pelo caso dele decidiu que o melhor para a qualidade de vida do paciente é a remoção do baço, você deve seguir a orientação dele.

      A ascite me preocupa um pouco em casos de formações no baço, pois podemos ter já uma hemorragia ou algo assim (eu não sei qual líquido livre temos no abdômen dele, estou apenas especulando), o que tornaria a cirurgia algo meio urgente.

      Converse com seu veterinário e tome uma decisão conjunta em prol da qualidade de vida. De todas as maneiras será a melhor decisão e ele sempre saberá disso.

      Boa sorte!

      Excluir
  58. Boa noite, Fernanda. Tudo bem com você? Estou aqui para pedir ajuda para um lindo cãozinho chamado Artur,meu sobrinho. Ele tem 10 anos e recebeu hoje um diagnóstico de infecção esplênica. Ele está bem debilitado, é um mestiço de grande porte, teve perda de peso acentuada no último mês. Gostaria de saber se esse é um problema grave, minha irmã, a mãe dele, está muito aflita.
    Desde já obrigada por sua atenção e parabéns pelo profissionalismo, pessoas como você, nos ajudam a continuar acreditando no ser humano!

    Grata, Giselia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giselia,

      Eu vou bem sim e você?

      Então, todo problema é grave quando causa ao paciente algum tipo de sinal e sintoma que debilitem sua qualidade de vida. Logo, se ele está bem mal, perdendo peso e apetite, realmente o problema é grave para ele. Pode ser que a tal infecção esplênica em si não seja exatamente grave quando o paciente está bem, mas no caso parece estar causando problemas de verdade.
      Obrigada pela sua participação e comentário.

      Grande abraço,

      Excluir
  59. Obrigada por sua atenção, Fernanda!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  60. Boa tarde Dra, que pena que você não está em SP... rs
    Gostaria de tirar uma dúvida com você, tenho um schnauzer de 8 anos sempre muito saudável de dois anos para cá começou com uma alergia na pele que nada curava passamos em 4 veterinários com ele onde os tratamentos sempre caiam em xampus predinisona e cefalexina, tratamentos longos quando acabavam a alergia voltava, mas ninguém pediu exames agora no final de abril passamos em uma para ver a alergia e eu percebi o abdome inchado mas a vet anterior disse que ele estava gordinho, bom pedi que ela solicitasse um us e exames para um check-up quando para minha surpresa constava um cálculo na bexiga - estrutura ovalar hiperecogenica formadora de sombreamento acustico posterior medindo cerca de 1,21cm, o figado com dimensões aumentadas hepatopatia ? vesicula biliar com paredes finas e repleta por discreta quantidade de conteudo anecogenico e com grande quantidade de material ecogenico com padrão estrelado no fundo(lama biliar densa?) mucocele incipiente? a vet me deixou super assustada falando que eu tinha que me preparar porque a vesicula dele poderia estourar e o calculo obstruir a uretra e a bexiga estourar mas que não poderia abrir por causa do figado, entrou com um monte de remedios humanos mas o tratamento nao surtia efeito repeti os exames, me senti insegura e busquei outras opniões,outro us e mais um diagnostico devido a bomba de remédios humanos adquiriu uma gastrite, esta outra vet disse que era urgente operar por causa do calculo passei no sábado ela marcou a cirurgia para sexta-feira disse que a vesicula podia esperar, operamos ele dia 06/05/2016 disse que o calculo estava aderido à bexiga e que utilizou fio de nylon para que ele nao se desfizesse, no pos operatório ficou com sonda fralda, tomando antibiotico, anti-inflamatorio e novamente a cortisona, fizemos um exame de tsh 0,53 e t4 0,34 constaram hipotireodismo, entrou com Euthyrox 50mg mas 20 dias depois da cirurgia ele começou a urinar sangue coisa que nunca havia acontecido,Novo us com 30 dias de operado e a vesícula tinha piorado, entao voltaram os remedios e a ração hill urinary, remedios homeopaticos como cantharys e same para a vesicula. Decidi ir a outro vet., este disse que o fio de nylon não deveria ter sido utilizado pois ajuda na produção de novos cálculos pois não é absorvido pelo organismo, hoje fizemos um rx e mostrou dois calculos grandes o maior com 0,51mm e vários pequenos e muitos cristais, gostaria de saber porque ? Ninguém explica, porque depois da cirurgia ter esse tanto de cálculos e inflamação da bexiga mesmo seguindo tudo a risca comendo somente esta ração, ele sempre comeu ração super Premium da Eukanuba, total Equilibio, Royal Canin raças especificas. E agora isso por favor me de uma luz porque é desesperador ver tudo o que ele sofreu tudo que foi gasto e ainda assim estarmos piores do que começamos. Já estamos no 6 us e diversos exames, agora por último vamos fazer o exame supressão a D.X.M para investigar hiperadrenocorticismo suspeita do vet numero 8.
    Desculpe tanta informação mas ficamos perdidos com tantas questões sem resposta. Por favor me de sua opnião. Muito obrigada pela atenção.

    Att.,

    Rogério

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rogério,

      Vamos por partes.

      Primeiramente, eu não posso lhe conduzir ou ajudar no diagnóstico do seu cãozinho pela internet, mas posso lhe dizer que os cães da raça Schnauzer são conhecidos por terem tendência à formação de cálculo urinário, então muitas vezes mesmo com controle adequado e com devidos cuidados, os cálculos aparecem e, sim, voltam em pouco tempo.

      Se havia uma mucocele no paciente, a recomendação é a remoção cirúrgica da vesícula, pois existem um verdadeiro risco de ruptura. Vesícula biliar rompida é igual à peritonite, dor e grande risco de morte.

      Os cálculos grandes, ou seja, com mais de 0,25 cm de comprimento, são geralmente removidos cirurgicamente mesmo, porque podem causar cistite com sangue na urina e obstrução do fluxo urinário podendo causar refluxo para os rins e consequente doença renal ou até hidronefrose, que é mais uma emergência cirúrgica.

      O uso constante de corticóides pode causar hiperadrenocorticismo que pode vir acompanhado de hipotireoidismo conforme observado no seu cão.

      Recomendo que vocês re-comecem a história dele, sem se influenciar pelo que já houve, mas concentrando-se no que existe.

      Boa sorte,

      Excluir
  61. Boa noite Dra. Fernanda, tenho uma cadelinha de raça mista com Border Collie com 13 anos, cardíaca e acompanhada há 3 anos por cardiologista e exames semestrais. Ela passou há uns 9 meses a lamber demais as patas e a veterinária diagnosticou ansiedade, passando medicações tópicas, mas apareceu um nódulo na axila que deu beningno a citologia e uma verruga na mesma pata que em 2 meses aumentou e ficou avermelhada e ela pediu citologia e deu o que eu não esperava, carcionoma. levei a um oncologista e ele fez vários exames, inclusive raio x das pata que não deu comprometimento ósseo, mas as plaquetas estão baixas 92.000 e mesmo assim ele sugeriu a cirurgia. está tomando doxiciclina e ranitidina e geriox e ela apresentou na ultrassom baço aumentado- esplenomegalia; e na bexiga uma imagem circular preenchida por conteúdo anacogênico de paredes finas, medindo cerca de 2,26 cm de diâmetro com presença de imagem hiperecogênica formadora de sombra acústica posterior(litíase) em seu lúmem, medindo cerca de 0,68cm de comprimento- ureterecele a esclarecer e também alterações na glândula adrenal esquerda com dimensões aumentadas 2,30x1,07 em pólo caudal, a custa de presença de uma imagem nodular hiperecogênica no polo craneal medindo cerca de 1,52x0,97cm.. Sei que mesmo sendo a anestesia inalatória os riscos existem e ele já queria fazer as 3 cirurgias, da pata, da axila e da bexiga, então levei a outro veterinário que passou um medicamento homeopático, tendo em vista que ela não tem apatia, brinca, pula e os riscos de cirurgia e que em 1 mês retornasse para novos exames, preferi aceitar esse tratamento e ver como ela reage, pois temo perdê-la na mesa de cirurgia. Esse produto homeopático tem na composição dele tem o carsinosinum e comecei hoje. O que a Sra. poderia me orientar nesse caso. O segundo veterinário falou da Síndrome de cushing que ela poderia ter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra,

      Eu acredito nas terapias alternativas como coadjuvantes à terapia alopática "normal". Sei de muitos casos em que o uso concomitante de homeopatias e alopatias funcionou melhor que aqueles em que somente a alopatia foi utilizada.

      Eu acompanharia com cuidado mesmo essa bexiga e manteria meu foco na qualidade de vida da paciente. Acredito que em casos como o dela, em que tudo parece ser muito ruim e ao mesmo tempo, temos de ir trabalhando com os problemas maiores e piores a cada vez.

      Espero que ela fique bem (dentro do possível) e que você possa ter a consciência tranquila de que sempre fez o que era melhor para ela.

      Excluir
    2. Obrigada pelo retorno Dra., mas existe cirurgia pra esse problema na bexiga? O que eu mais estranhei é que a veterinária que fez a ultrassom disse que não era nada demais e no entanto ao levar a outro veterinário e ele apalpar, ela gemeu e foi aí que ele ficou preocupado, passou o homeopático e buscopan gotas por 10 dias, apesar que ela ainda não demonstra estar com dores. Qual o maior risco nesse caso dela quanto a bexiga? Romper, obstruir? Ela já fez 2 ultrassom em menos de 2 meses e ambas diferentes, não entendo pq cada profissional examina diferente, por isso optei em não operar, pois ando tão descrente e decepcionada com alguns veterinários em minha cidade que tudo é cirúrgico para extorquir o tutor e sem se preocupar se o animal vai sofrer ou não. Eu tenho 19 animais que cuido e já sofri horrores por erros médicos, inclusive o atual, pois minha cadelinha de 6 em 6 meses levo ao veterinário e nunca nenhum pediu ultrassom, eu que por intuição por ela reclamar quando coloco no braço e aperto sem querer a barriga, solicitei a ultrassom, fora o problema da pata que falei pra veterinária que ela coçava demais e ela diagnosticou ansiedade.Existe algum exame mais específico para diagnosticar metástase em animais, tipo ressonância, tumografia etc, pois acho que aqui em Fortalea não tem.Abraços.

      Excluir
    3. Oi Sandra,

      Eu que agradeço a confiança.

      Quanto à situação da bexiga, eu não consigo determinar se o caso é ou não cirúrgico apenas com base nos seus relatos. Eu teria que acompanhar a paciente para ter um ideia, e infelizmente moramos em extremos opostos do país. Porém, creio que aí mesmo em Fortaleza tem um colega, chamado Pablo Amorim que é ótimo radiologista veterinário. Eu consultaria com ele pois acredito que ele está implantando sistemas mais avançados de diagnóstico por imagem na sua cidade.

      De qualquer maneira, creio que o principal desafio da alteração na bexiga serão as possíveis inflamações que esse anexo anormal poderá causar na sua cachorrinha. Ruptura parece-me improvável, obstrução eu já não sei; talvez se houver formação de cálculo ou algo assim.

      Se há uma suspeita de que ela continua com dor abdominal, existem outros analgésicos que podem ser receitados para o caso conforme orientação do médico responsável.

      Sinto muito por você ter que passar por essas situações, mas às vezes as coisas se desenrolam assim mesmo, meio imprecisas... Infelizmente a medicina não é exatamente previsível, por isso acontece de em uma semana o quadro piorar muito e noutra estar completamente melhor. Muitas vezes essa circunstância leva à indicação de algo na hora que depois pode parecer desnecessário (cirurgia e etc).

      O máximo que posso fazer para te ajudar é recomendar a procura de uma terceira opinião para que você se sinta mais amparada. Nós mesmos muitas vezes passamos por diversos médicos até chegar em um que nos transmita confiança. Na veterinária é a mesma coisa.

      Boa sorte! Abraços

      Excluir
  62. Oi Fernanda
    Meu nome é Roberta Mauro
    Que bacana você responder as perguntas das pessoas desse modo..bem explicadinho, tb sou assim
    Sou veterinária e me formei recentemente.
    Achei interessante vc ser interessada em imunologia e fazer ultrassonografia porque aconteceu o mesmo comigo. Adoro imuno, onco e estou enveredando por diagnostico por imagem. Gostaria de saber se você tem algum livro de ultra para me indicar.
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberta,

      Obrigada pelo feedback! Sempre me anima conversar com colegas dedicados e interessados na medicina veterinária :D

      Eu gosto muito de todas as especialidades veterinárias (menos dermatologia hehehe), inclusive imunologia.

      Recomendo os livros da Cibele Carvalho, do Nyland, O Keally e McAllister. Todos maravilhosos para ler. Lembre-se sempre que sua melhor amiga é a prática. E a prática bem embasada por boas teorias é além da sua melhor amiga, é sua companheira da vida toda.

      Parabéns pelo interesse em sempre buscar mais informações!

      Beijo!!!

      Excluir
  63. Oi Fernanda!!
    Legal você ter falado em prática.
    Fiz o curso de ultrassonografia básica de 70 horas.Porém a parte prática ficou a desejar. Sei que devemos praticar muito para nos tornarmos bons profissionais. Estou a procura de alguém que me dê essa oportunidade a qual chamaria de uma espécie de consultoria.
    Estou percebendo uma certa dificuldade.
    Primeiro porque não sei como funciona. Quanto custa? como seria essa assessoria?... tipo: eu faria os exames? Posso usar meu ultrassom? Seria em grupo? Posso pedir para ser individual? Porque não existe estágio?
    Não tenho tempo pra fazer uma pós em ultra e não acho que quem detém o conhecimento deva compartilhar "de graça"(...embora tenha me surpreendido que não seja assim) a prática no assunto, mas estou tendo dificuldades em confiar em alguém pois eles estão cobrando indiscriminadamente por esse serviço. Hoje uma veterinária me cobrou 400 reais para participar de uma aula prática dela...como assim? Não sei o que pensar, não sei se é assim mesmo. Não acredito que todos os dias terei que desembolsar 400 reais para ela fazer algumas ultras e eu ficar olhando, ou mesmo que eu faça, ela já esta ganhando na consulta do animal...desculpe mas estou mega decepcionada...como vou ter dinheiro se me formei a pouco?
    Talvez você não saiba me responder..estou mesmo é desabafando porque não sei o que fazer...abandonar? Sair por ai fazendo ultra?
    Um bom aparelho custa de 16 a 24 mil reais,sendo um investimento alto pra depois eu não conseguir praticar devido justamente a falta de experiencia e pratica.
    Socorro!!!
    Um beijo Fernanda.
    *Se essa postagem estiver ruim me perdoe e retire-a...mas estou sincera ultimamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roberta,

      Obrigada pelo desabafo. Acho legal deixar isso compartilhado aqui inclusive com outros colegas e interessados que estejam passando por uma situação semelhante.

      Eu mesma quando iniciei as atividades com a ultrassonografia há alguns anos atrás enfrentei dificuldades parecidas. Estágios eram pouco, para não dizer nenhum, e mesmo a especialização no tema sequer existia. Eu me dediquei MUITO à prática clínica, pois acredito nela como a principal e mais importante base de aprendizado. Eu voltei todas as minhas forças nessa direção, tendo inclusive trabalhado com isso durante um longo período. Quando decidi focar na ultrassonografia, eu comprei o aparelho e comecei fazendo exames na clínica onde trabalhava. Em todos os pacientes que eu conseguia. Eu deixava o meu Mindray DP 3300 Vet lá mesmo e quando tinha uma oportunidade, olhava o paciente por dentro. De qualquer maneira eu encaminhava os pacientes que precisam de exame para alguém com experiência e sempre lia e relia os laudos de terceiros, comparava o que eu tinha visto, lia em livros e artigos. Assim fui criando confiança e para minha sorte, o primeiro "exame de verdade" que fiz, era uma intussuscepção em um gato. Foi emocionante!
      Acabou que depois desse eu fui criando confiança e fazendo sozinha. Toda vez que eu tinha dúvida eu procurava na literatura, fazia o laudo depois e ia me virando. Depois de um ano fazendo exame direto eu me sentia verdadeiramente confiante. Ajudou que eu fui fazendo todo e qualquer curso de ultrassom que aparecia. Lia sobre tudo, inclusive literatura de medicina humana.

      Ao final, você vê que parece que esse meio sempre foi assim. Hoje me parece que o tema está mais acessível, com mais centros de diagnóstico espalhados pelo país e tudo. Eu recomendo que você procure estágio (nem que você tenha que pagar por ele) em algum centro especializado em diagnóstico por imagem. Pense no estágio como um curso. E compre o aparelho se esse for seu interesse. A prática só vai vir assim. E a teoria está por aí; nos livros de clínica, nos de diagnóstico, nos cursos, nas palestras, nas conversas com os colegas.

      Toda a especialização é assim no começo, Ro. Eu garanto para você que com estudo e dedicação você vai se sentir segura e amparada. Lembre-se que erramos às vezes, mas os erros nos ensinam o caminho certo.

      Qualquer coisa me manda e-mail ou me manda mensagem no Whatsapp. Eu sempre procuro ajudar os colegas quando posso.

      Abraço forte!

      Excluir
    2. Você é uma fofa!!
      Estava muito chateada naquele dia!!
      Mas acho que não saimos preparadas para a batalha da competição aqui de fora...
      Uma coisa eu sei, não vou perder o seu contato.
      Estou esperando chegar meu livro pra cair em cima e vou fazer outro curso e estudar bastante.
      O investimento inicial é grande mais temos que ter paciência. Um Big Beijo

      Excluir
    3. Obrigada Roberta :) Você é igualmente simpática (: Obrigada mesmo por compartilhar as suas experiências comigo. Sinto um enorme prazer de ajudar os colegas queridos.

      Bem, guarde aí meu e-mail, meu celular (que é também meu whatsapp) e vai me mantendo informada da sua trilha sonográfica.

      Beijo grande e ótima sorte! Tenho certeza de que vai dar certo.

      Excluir
  64. Olá Fernanda!! Amo seus posts.
    Será que poderia me passar as referências de base para endocrinopatias ligadas a esplenomegalias, até hoje só tinha visto endocrinopatias, no caso o hiperadreno, ligado a alterações esplênicas causando pontos hiperecogênicos, a mineralização em parênquima, gostaria de ampliar meu leque de diagnósticos diferencias mas gosto de referencias na literatura para me garantir.
    Quanto ao termo superutilização esplênica como diagnóstico diferencial também de esplenomegalias eu adorei, pois não via uma forma de me referir as respostas esplenicas contras as erliquioses principalmente.
    Aguardo sua ajuda e desde já lhe agradeço. Que Deus continue te abençoando, seu sucesso nos inspira!!!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vetscanner!

      Obrigada por participar! Fico toda felizinha quando os colegas vem deixar opinião e debater. Isso me estimula muito e ajuda a dar mais inspiração para continuar trabalhando e estudando.

      Primeiro quanto à sua pergunta da esplenomegalia no caso de endocrinopatias, aqui vai a resposta: Doenças endócrinas como hiperadrenocorticismo alteram o metabolismo de colesterol e gordura, levando a um acúmulo desse tipo de material em órgãos parenquimatosos como fígado e baço, por isso podendo causar hepatoesplenomegalia à ultrassonografia.
      Segue uma referência do que digo :)
      http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0004-27302004000500020&script=sci_arttext

      Que bom que gostou do termo superutilização. Eu não tenho certeza quanto à utilização dele por outros ultrassonografistas, para mim parece bem auto-explicativo, como você mesmo(a) entendeu ;)

      Sucesso para todos(as) nós!!!

      Beijos grandes!!!

      Excluir
  65. Boa tarde!
    Sou veterinário e gostaria de trocar uma idéia.
    Esplenomegalia pode estar associado à cistite em cão do sexo masculino?! Clinicamente normal, apenas a urina está um pouco mais amarelada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega,

      A esplenomegalia pode sim estar relacionada com algum processo inflamatório abdominal, já que teoricamente qualquer inflamação requer maior aporte sanguíneo e por isso o baço pode ser visto levemente aumentado como se sua atividade estivesse maior e por isso seu tamanho corresponda.

      Espero ter ajudado :)

      Abraços

      Excluir
  66. Boa noite! Me chamo Ivone.
    Antes de tudo quero parabenizá-la por esse espaço precioso, é muito bom saber que existem pessoas bondosas e dispostas a nos presentear com mais e mais conhecimento.
    Bom, eu sou uma mãe de pet bem preocupada....pois meu cachorrinho de 1 ano e 8 meses apresentou aumento de baço e a veterinária que o acompanha desde que ele tinha 6 meses afirmou que ele precisa retirá-lo. Eu acho meu cachorro tão novo pra um procedimento tão radical... mas confio muito na médica que cuida dele. Eu o peguei da rua (um SRD que atualmente está com 20 kg), e com 6 meses ele teve parvovirose, ficou 5 dias internado, bem debilitado...mas graças a Deus e aos profissionais que cuidaram dele, meu Zé Ruelinha ficou curado. Porém, logo depois ele teve a 1ª doença do carrapato (erliquiose), nós já esperávamos isso porque o bichinho estava infestado, pobrezinho. Nós tratamos e ele ficou curado, aplicamos remédios contra carrapato e pulgas para prevenção. Mas no intervalo de 8 meses ele teve a mesma doença 3 vezes e na última vez com intervalo de menos de 1 mês entre elas. Ele fez 3 ultrassons, nos 2 primeiros o baço estava comprido, mas considerado normal, já na terceira vez o baço estava muito grande... A doutora receitou 15 dias de remédios e antibióticos, depois ele fez o exame de sangue completo para a cirurgia e deu tudo ok pra ele operar.
    Me desculpe a falta de conhecimento, mas é possível diminuir esse baço com medicamentos? É "normal" em casos de Erliquiose operação para a retirada do baço? Ele poderá viver bem sem o baço?
    Já conversei com a doutora várias vezes, mas me sinto tão insegura em fazer essa cirurgia, escuto tanta gente falar ao meu redor... a doutora nem me dá mais atenção porque já fiz a mesma pergunta mil vezes, rsrsrsr. Mas ela entende, sabe que essa minha chatice é preocupação pelo meu filhote.
    Obrigada pela compreensão de sempre doutora, que seus caminhos sejam de luz, que Deus te abençoe!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivone,

      Obrigada pelo seu contato e pela sinceridade na exposição dos fatos.

      A senhora entende que muitas vezes é difícil dar uma opinião concreta ser ver o paciente. Afinal, eles já não falam, se não der nem para vê-los... tem que ser um ninja imortal para adivinhar! :D

      Bem, vou responder por partes:
      - "Ele poderá viver bem sem o baço?"
      - Sim, o baço é um órgão acessório que complementa as funções do fígado e até da medula óssea. Sem ele a imunidade do paciente pode ficar mais frágil, porém a qualidade de vida tende a continuar a mesma.

      - "É "normal" em casos de erliquiose operação para a retirada do baço?"
      - Eu não sou cirurgiã e não acompanho o caso do seu Zé Ruela de perto, porém, dependendo das alterações que foram visualizadas na ultrassonografia e da conduta recomendada pelo clínico e pelo cirurgião, pode ser que seja necessário fazer este procedimento.
      - "(...) é possível diminuir esse baço com medicamentos?"
      - Dependendo da causa da esplenomegalia (aumento do baço), sim. Alguns processos inflamatórios e/ou infecciosos severos e/ou crônicos podem demandar do baço um maior funcionamento e por isso ele pode aumentar de tamanho significativamente. Quando você retira o estímulo (combate a causa "raiz" ou base, no caso a inflamação ou a infecção), ele pode reduzir de tamanho porque não precisará mais estar tão ativo (e por isso grandão).

      É muito bom ver proprietários preocupados. É assim que conseguiremos cada dia mais um medicina veterinária de prevenção e não apenas de tratamento.

      Talvez a senhora devesse mudar a abordagem em cima do tema com sua médica veterinária. Expondo-lhe suas aflições e, ao invés de questionar a cirurgia em si, questionar a urgência da mesma.

      Um baço aumentado demais pode causar sequestro de células sanguíneas e por isso levar à anemia severa e crônica, irresponsiva à tratamento medicamentoso. Por isso creio que se sua veterinária está sugerindo esse procedimento (esplenectomia ou retirada do baço), provavelmente ela acredita que seja o melhor para o paciente.

      Fique tranquila que estando você e sua médica de acordo, seu bebê terá a melhor vida possível.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
    2. Olá doutora, boa noite!
      Muito, muito obrigada pela resposta e atenção da senhora. Sei que é impossível dar uma opinião profissional sem examinar o animal, mas saiba que suas palavras nos ajudam muito... nos dão calma e nos confortam.
      Então, meu cachorrinho operou no dia 07 de fevereiro as 11 e 30 da manhã. Conversei muito com a minha veterinária e outros veterinários da mesma clínica, conversei com os assistentes, os atendentes, os clientes que passaram ou estão passando a mesma situação que eu, e fiquei mais tranquila. A veterinária sanou todas as minhas dúvidas, afirmou que a esplenectomia era necessária e o quanto antes melhor. Foram feitos exames no meu bebê, a doutora passou medicamentos dias antes da cirurgia, tenho confiança na clínica que é equipada com UTI conta com uma equipe de profissionais diversificados e muito competentes. Perguntei sobre a anestesia (que foi inalatória), o processo pré e pós cirúrgico, como seria a saúde do meu cachorro sem o baço, enfim, tudo.
      É claro que no dia fiquei preocupada, porque em se tratando de cirurgia sempre existe risco, mas confiei no Dr. Thiago (o cirurgião que operou meu Bidu, além de cirurgião ele também é ortopedista) na equipe do Dr.Bernardo (o anestesista, que também é cardiologista). A Dr. Letícia, que é a veterinária do meu bebê estava presente com eles.
      Graças a Deus correu tudo bem e me Bidu está se recuperando em casa. Optamos por usar a roupa cirúrgica, porque ele é bastante agitado e estava tentando coçar os pontos com a pata traseira. O baço dele estava grande e inchado, a doutora mandou para a biópsia. Dia 21 vou levá-lo para a consulta onde provavelmente retirará os pontos e também vai tomar o reforço da V10.
      Mais uma vez, obrigada pela atenção, doutora! Mandarei notícias, assim que ele for consultado! Deus abençoe a senhora!

      Excluir
    3. Olá Ivone,

      Muito obrigada por ter voltado até aqui para dar essa boa notícia! Ainda que eu não conheça você ou seu bichinho pessoalmente, fico muito contente de ter de alguma forma ajudado a tomar a decisão certa para a qualidade de vida dele.

      Que maravilhoso saber que tudo correu bem durante e após a cirurgia. Certamente todos os envolvidos ficaram muito felizes!!! <3

      Obrigada mesmo :)

      Um forte abraço virtual!!!

      Excluir
  67. Olá, boa noite!

    Doutora, sei que essa página é voltada para ultrassom e imagem dos animaizinhos, mas estou preocupada com uma questão, será que a senhora poderia me ajudar?
    Eu peguei um cachorrinho da rua que havia sido vacinado na agropecuária (3 doses V10), mas como sei que essas vacinas não são muito confiáveis, levei o bichinho no veterinário para consultá-lo e vaciná-lo. Ele tinha 8 meses na época, e eu o vacinei com a vanguard plus, a doutora disse que 2 doses de V10 já bastavam porque ele era adulto e já havia sido vacinado anteriormente. Assim fiz, dei as 2 doses, um ano passou e já vacinei meu bichinho de novo, mas uma amiga minha disse que isso é perigoso que ele teria que tomar as 3 doses, mas como ela não é veterinária, não sei se ela está certa. O que a senhora pensa a respeito? Será que devo revaciná-lo? Realmente, fiquei preocupada....

    Obrigada pela atenção. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,

      Obrigada pelo seu contato e parabéns pela preocupação com seu cachorrinho.

      Se ele já fez o esquema vacinal assim e está bem, sem nenhum sinal de doença, basta manter o reforço anual ou periódico das vacinas conforme indicação dos fabricantes.

      Se você ainda tem dúvidas sobre o cuidado e manejo do seu cãozinhoo, sugiro que marque uma consulta para uma conversa com um médico veterinário de confiança. Seu animalzinho vai agradecer de ter um parceiro confiável para fazer anualmente um belo de um check-up :)

      Abraços!

      Excluir
  68. Boa tarde Dra. Fernanda, vou arriscar a pergunta porque de facto preciso de um esclarecimento: tenho um cão com 14 anos, o Ghost. Recentemente foi ao médico, fez um painel de análises completo e estava tudo bem, mas como continua a beber demasiada água e a ter alguma dificuldade em defecar, voltei a levá-lo a outro veterinário que lhe fez uma ecografia e detectou um aumento de tamanho no baço, sem quistos. No meio de tudo o que se fez nessa consulta, a Dra disse que o aumento do baço devia estar relacionado com a febre da carraça, ainda que eu lhe tenha dito que ele nunca teve um quadro de doença desse género (nunca perdeu o apetite ou ficou letárgico ou com febre) e que só lhe tirei uma carraça ainda este ano e muito pequena. Ela passou a receita para tratar a febre da carraça e eu agora estou hesitante, porque não me parece que o diagnóstico tenha sido feito com grande cuidado... Será que podia acrescentar alguma da sua sabedoria à equação, para me ajudar a tomar uma decisão? Obrigada pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sofia,

      Obrigada por sua participação. É importante expor nossas aflições quando estamos assim. Parabéns pelo seu português, muito bem exposto.

      Bem, a "doença do carrapato/carraça" pode ser transmitida mesmo com uma só mordida. Se o carrapato estava aderido à pele do animal, significa que ele já deu uma beliscada, tornando assim possível a transmissão de ao menos duas doenças: a erliquiose e a babesiose. Existem, inclusive, estudos recentes que sugerem que essas enfermidades podem ser transmitidas por outros aracnídeos e insetos, inclusive algumas moscas e mosquitos. Por isso, mesmo que a senhora não tenha observado quadro muito característico de febre "do carrapato/carraça" é possível sim tratar dessa possibilidade. Em alguns casos, especialmente de erliquiose, o paciente não apresenta o quadro completo e clássico da afecção, então por exclusão, muitos veterinários optam por tratar a doença.
      Eu digo por exclusão porque provavelmente não houveram outras alterações clínicas, laboratoriais e imaginológicas que expliquem o quadro do seu Ghost.

      Não sei se a senhora assistia ao seriado House, mas ali era bastante claro que mesmo na medicina humana, onde os pacientes falam e expressam suas aflições médicas, os médicos têm dificuldade em fechar claramente determinados diagnósticos. Claro que o seriado tendia a fantasiar e muitas vezes romancear alguns casos, mas é bastante realista essa situação de "tatear no escuro" até encontrar uma resposta. Imagina isso dentro da medicina veterinária... As dificuldades são ainda mais evidentes, visto que os bichinhos não falam de maneira tão compreensível conosco ;)

      De qualquer maneira, sempre recomendo ao responsável pelo animalzinho que, se ele está inseguro com o tratamento de um determinado profissional, que procure uma segunda, terceira ou quarta opinião até que chegue em um veterinário em que sinta confiança e apoio para seguir o tratamento determinado, senão fica difícil tanto para o paciente que nunca consegue dar continuidade a um tratamento, quanto para o veterinário, que nunca consegue acompanhar seu caso até o final para ver se obteve sucesso ou não.

      Espero que realmente seja apenas isso e que o Ghost volte ao normal o quanto antes. Lembre-se também que a idade de 14 é avançada para um cão, então muitos aspectos da saúde dele irão mudar daqui pra frente e isso provavelmente lhe causará estranhamento, mas o processo de envelhecimento tem suas consequências neles como tem em nós. Devemos estar preparados para enfrentá-las quando possível e aceitá-las quando inevitáveis.

      Obrigada e boa sorte!

      Excluir
    2. Muuuiiito obrigada Dra. É louvável que tire tempo para se dedicar a responder a angústias de pessoas como eu. Tenho 4 cães ao meu cuidado e tenho dificuldade em confiar em veterinários, acho que ando sempre à procura do 'the one' e como não sinto essa confiança e empatia acabo por andar a saltitar. Vou optar por confiar nesta última a que fui (e que já foi uma segunda opinião). Vou fazer o tratamento e voltarei lá ao final de um mês para ver se o baço voltou ao tamanho "normal". Muito obrigada uma vez mais. Sofia

      Excluir
    3. Entendo você, Sofia. Realmente é complicado escolher alguém de tamanha importância, mas definitivamente ajuda você manter um médico por um período maior. Esse convívio, inclusive, vai reforçar os laços de confiança profissional entre vocês :)

      Excluir
  69. Bom dia.
    Tenho duvidas em retirada do baço, levei meu cachorro ao veterinario e fiz uma sonografia deu tumor nobaço, so que meu cachorro tem 17 anos e tem convulsoes direto,eles me falaram em cirurgia mas confesso que estou com medo porque ele esta muito fraco e nao esta conseguindo ficar em pé.
    Obrigada pela ajuda.
    Verginia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vergínia,

      A opção por uma cirurgia deve estar diretamente atrelada aos ganhos de qualidade de vida que ela pode proporcionar ao paciente.

      Para um paciente veterinário, "qualquer" mês de sobrevida é considerado, já que a expectativa deles e mesmo a noção de tempo que eles possuem é diferente das nossas e bem particular.

      Considere conversar com seu veterinário sobre os benefícios e malefícios de fazer ou não a cirurgia para remoção do baço. Como uma listinha em mãos, troque uma ideia com quem convive com seu cão e consigo mesma e toma uma decisão.

      Pense sempre na qualidade de vida.

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  70. Bom Dia!

    meu cachorro apresentou quadro de diarreia com um pouco de sangue escuro, vou feito o hemograma e nenhuma alteração consideravel, o vet disse que era uma gastroenterite. fizemos ultrasom e deu um aumento do baço, ele apresenta uma pequena falta de apetite, mas a dirreia com sangue já melhorou, acredito pela medicação. mas esse aumanto do baço me preocupou, ele solicitou um novo hemograma para acompanhar se houve mudança. o que poderia ser?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Obrigada por sua participação.

      Como neste caso o paciente não tem mais clínica alterada, realmente é melhora acompanhar através do exame de sangue.

      Conforme explico neste pequeno artigo, o baço é parcialmente responsável pela resposta a processos inflamatórios e infecções, ficando aumentado de tamanho. Provavelmente isso aconteceu no caso do seu cão.

      Aguardo informações futuras!

      Abraços e boa sorte!

      Excluir
  71. Boa tarde, Dra. Fernanda!
    Estou muito preocupada, pois meu cão labrador com 9 anos e 10 meses portador de artrose nas patas dianteiras, tem apresentado de repente quadro de prostração, falta de apetite. Achei a principio que pudesse ser da artrose. Ocorre que de uma hora para outra ficava assim. No dia seguinte, já estava bem. Levei-o ao veterinário ortopedista que ao examiná-lo observou inchaço no abdomen. Feito ultrassom foi evidenciado no figado: imagem sugere hepatopatia difusa. Considerar a possibilidade de hepatopatia aguda; no baço: baço com dimensões bastante aumentadas, medindo 9,0cm em corpo esplênico. Contornos irregulares, parenquima bastante heterogênio, apresentando diversa formações ovaladas e hipoecoica difusamente distribuidas, medindo cerca de 2,0cm em maior eixo. Imagem sugere esplenopatia. Considerar a possibilidade de neoplasia esplênica. Recomendo acompanhamento sonográfico a critério clínico veterinário.
    Notou-se discreto líquido livre abdominal, sugerindo efusão peritoneal. Sugiro correlacionar as alterações esplênicas.
    Com esse resultado, o veterinário sugeriu a retirada do baço. Gostaria de saber sua opinião,pois estou muito preocupada e receosa.
    Agradeço desde já a atenção e aguardo seu esclarecimento, se possivel.
    Att.
    Sonia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sonia,

      Obrigada pela sua participação.

      As alterações esplênicas podem evoluir facilmente para sangramento interno devido às características vasculares do órgão.

      Creio que seja importante buscar uma segunda ou até terceira opinião se você está insegura quanto à cirurgia de remoção do baço, porém ele será sim considerada uma opção em nome do bem-estar e qualidade de vida do seu bichinho.

      Abraços!

      Excluir