quarta-feira, 23 de junho de 2010

Embrião de aproximadamente 23 dias de uma cadela


Em uma gestação normal acima de 20 dias e com um pouco de paciência por parte do médico veterinário ultrassonografista, já é possível observar a formação do embrião e seu batimento cardíaco*. Em cães de grande porte, como era o caso dessa paciente - uma Dogue Alemão - a observação é bastante facilitada pelo tamanho da paciente. 

Nessa imagem, além do embrião, podemos ver com clareza a placenta na parte inferior da bolsa fetal e a quantidade de líquido amniótico, parâmetros interessantes de serem observados quando se está avaliando uma gestação, já que são grandes indicativos de saúde embrionário e viabilidade do mesmo. Uma placenta saudável é claramente visível e espessada, enquanto que a quantidade de líquido amniótico deve ser equivalente ao tamanho da mãe e do embrião/feto, comparando-se a aproximadamente a três vezes o tamanho da vesícula biliar normalmente preenchida da gestante. 

*Os batimentos cardíacos do feto devem ser aproximadamente o dobro dos da mãe. Níveis de BPM inferiores a esse indicam sofrimento fetal, bem como batimentos exageradamente acelerados. Particularmente, não gosto de usar o modo M do aparelho de ultrassom porque infelizemente não temos como solicitar à gestante que não se exalte ou respire mais calmamente, então, todos os movimentos de insipiração e expiração da mãe serão igualmente contados pelo aparelho, o que pode ser muito confuso. Por isso, prefiro apontar o ultrassom para o coração do feto que desejo verificar e contar por quinze segundos como na auscultação de um adulto, acompanhando o tempo no relógio digital embutido no aparelho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário