Pular para o conteúdo principal

Adrenomegalia unilateral em uma cadela



O hiperadrenocorticismo é uma enfermidade que caracteriza-se por alopecia bilateral simétrica, pele adelgaçada (fina), poliúria e polidipsia, apatia, inapetência, fraqueza muscular, flacidez, perda de musculatura esquelética, abaulamento abdominal, deposição de cálcio na pele, comedões e outros. Todos os sintomas são consequência da quantidade exagerada de glicocorticóides circulantes, que podem ter sua origem endógena ou exógena. 

O aumento de cortisol sérico pode advir de tumor pituitário (que aumenta a secreção de ACTH), distúrbio hipotalâmico (que também aumenta a secreção de ACTH), neoplasias adrenais como carcinoma ou adenoma ou de iatrogenia por excessiva administração de ACTH e/ou glicocorticóides. 

Não parece existir predisposição particular quanto ao gênero, porém, quando o hiperadrenocorticismo tem sua origem nos tumores de adrenal, cadelas são definitivamente mais acometidas. Também nota-se uma tendência ao desenvolvimento dessa doença em cães de pequeno porte e nas raças Poodle, Dachshund, Boxer e Boston Terrier. A faixa etária mais afetada é aquela que se situam os cães de meia idade e os idosos (sete a onze anos, em média); porém casos em cães muito jovens já foram descritos. 

Na imaginologia, pode-se generalizar (com pouca sensibilidade) as alterações adrenais em unilaterais e bilaterais. Normalmente o aumento unilateral é consequência de afecções locais; enquanto que o bilateral pode ter sua origem nas neoplasias centrais e na iatrogenia. 


Comentários

  1. oi Fê!
    Gostaria de perguntar se posso citar seu blog/posts na minha fanpage!
    =)

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernanda boa noite. gostaria algumas dicas : estou comprando aparelho de U.S Mindray 4.900Vet , tenho clínica veterinária e pretendo iniciar meus exames de rotina, pois estou encaminhando muitos exames básicos. vvc por acasa não sabe me informar um US bom Usado aí em Curitiba marcas Modelos se possível . acho que esse Mindray é bom para inicio qual sua opinião.

    ResponderExcluir
  3. oi felipe. fico feliz em saber que terei mais um colega veterinário ultrassonografista! eu gosto muito dos aparelhos da mindray, porque creio que tenham o melhor custo:benefício do mercado. infelizmente não tenho ninguém em específico para lhe indicar que esteja vendendo um aparelho usado em curitiba, mas tenho certeza que vc deve encontrar opções interessantes em sites de compra e venda como o mercado livre e o bolsaus. na época em que comprei o meu dp3300vet fiz as transações através de um importador em são paulo, mas já não tenho mais o contato...
    espero que encontre logo o que mais lhe agrade!
    abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Alterações esplênicas em cães

As alterações esplênicas em cães normalmente são avaliadas de maneira subjetiva pelo ultrassonografista, já que existe uma variação de porte do paciente bastante grande. Ao contrário da esplenomegalia em felinos, que pode ser observada pelo aumento longitudinal do órgão, esta afecção em cães é comumente constatada pelo aumento transversal do mesmo.  Muitas são as causas da esplenomegalia, sendo importante destacar as hemoparasitoses, as parasitoses intestinais e epiteliais severas e as doenças endócrinas como hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo e diabetes mellitus.  Além do tamanho, o ultrassonografista deve estar atento à ecogenicidade esplênica, que de acordo com o macete "My Cat Loves Sunny Places" (M=medulla; C=cortex; L=liver - fígado; S=Spleen - baço; P=prostate) deve ser discretamente mais hiperecóica que o fígado e um pouco mais hiperecóica do que a camada cortical dos rins.  Outro aspecto importante é a ecotextura deste órgão, sauda

Piometra de coto uterino - algumas apresentações

As imagens acima foram obtidas em exames ultrassonográficos diferentes de algumas pacientes da espécie canina; elas representam algumas formas de apresentação da afecção infecciosa de coto uterino. Note os tamanhos variados de coto, a quantidade e as ecogenicidade e ecotextura variadas.  Esse é um quadro mais comumente observado em paciente da espécie canina e normalmente os sinais aparecem poucos dias após a ovariosalpingohisterectomia (OSH). A explicação para esse acometimento para estar na frouxidão do miometro previamente dilatado pela gravidez, piometra ou cio, combinada ao excesso de tecido uterino deixado pelo cirurgião. A existência prévia de piometra não é um fator totalmente predisponente à formação de piometra de coto uterino, porém pode ser um agravante.

Sinais de pancretite em um gato

O pâncreas é uma glândula de difícil observação, identificação e até mesmo de diagnóstico preciso, já que a dosagem de enzimas pancreáticas como a lipase são pouco ou nada realizadas no Brasil. Temos, porém, alguns indícios característicos que nos levam a crer se tratar de um caso de pancreatite. Em cães, podemos observar a ventroflexão do paciente e a extrama sensibilidade do mesmo à palpação abdominal; em gatos pode-se considerar o vômito agudo e a presença ou não de sensibilidade na região pancreática. Logo vê-se que gatos não apresentam sinais clinicos tão clássicos como o cão, o que torna a realização de uma ultrassonografia abdominal bastante importante e útil no diagnóstico dessa alteração. Com o transdutor correto e boas noções de anatomia é possível visualizar a região pancreática, quando alterada, logo caudalmente ao duodeno. Em casos de pancreatite aguda, observa-se diminuição da ecogenicidade do local, como na imagem acima. Em casos de pancreatite crônica, pode haver u