quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Massas renais complexas



Massas renais podem ter características sonográficas complexas, contendo áreas anecóicas, hipoecóicas e hiperecóicas (NYLAND e MATOON, 2002). Naturalmente isso representa uma dificuldade no diagnóstico preciso, uma vez que as suspeitas são múltiplas. As áreas anecóicas e hipoecóicas geralmente representam regiões de hemorragia ou necrose e não devem ser confundidas com cistos verdadeiros, já que estes tendem a produzir reforço acústico subjacente mais intenso. As porções sólidas ou hiperecóicas costumam ser isoecóicas em relação à camada cortical e normalmente consistem da menor parte da alteração (NYLAND e MATOON, 2002). 

Para se afunilar os diagnósticos diferenciais a correlação com outro exames complementares é fundamental. Por exemplo, ao se suspeitar de hematomas, o ultrassonografista veterinário deve avaliar o histórico e o hemograma do paciente avaliado, já que essa alteração é mais comum em animais jovens que sofreram um trauma ou que possuam desordens de coagulação. O abscesso pode ser correlacionado com leucocitose e febre (NYLAND e MATOON, 2002). 

Pode-se dizer que esse tipo de massa pode ser resultado de hematomas, abscessos, granulomas, infarto agudo e neoplasias primárias ou metastáticas. Ressalta-se que as neoplasias renais podem ter aspecto sonográfico parenquimatoso também, por isso é crucial a realização de aspiração ecoguiada por agulha fina do líquido e/ou da massa para posterior avaliação microscópica. Este procedimento é realizado sob sedação ou anestesia geral e a colheita deve abranger os diversos sítios observados na imagem ultrassonográfica. Em cães, as neoplasias mais comuns são adenocarcinoma e hemangioma, sendo que a primeira atinge com maior frequência a população masculina. Os felinos domésticos possuem maior incidência de linfoma primário. Ainda falando desta última espécie, dependendo dos sinais clínicos, bioquímicos e hematológicos, considera-se como diferencial a criptococose, a peritonite infecciosa felina, a FeLV e a FIV (CAYWOOD, 1980; KLEIN, 1988; KONDE, 1985, 1986, 1989; NYLAND, 1981; NYLAND e MATOON, 2002; WALTER, 1987)


Referências bibliográficas

CAYWOOD, D.D. et al. Neoplasms of the canine and feline urinary tracts. Current Veterinary Therapy. Saunders, 1980. 

KLEIN, M.K. et al. Canine primary renal neoplasms: A retrospective review of 54 cases. Journal of the American Veterinary Medical Association, 1988; 24: 443-452

KONDE, L.J. et al. Sonography of the kidney. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice. 1985; 15: 1149-1158

KONDE, L.J. et al. Sonographic appearence of renal neoplasia in dog. Veterinary Radiology, 1985; 26: 47-81

KONDE, L.J. et al. Comparison of radiography and ultrasonography in the evaluation of renal lesions in the dog. Journal of the American Veterinary Medical Association, 1986; 188: 1420-1425. 

KONDE, L.J. et al. Sonographic application in the diagnosis of intrabdominal abscess in the dog. Veterinary Radiology, 1986; 27: 151-154

KONDE, L.J. et al. Renal sonography. Seminars in Veterinary Medicine and Surgery (Small Animals). 1989; 4:32-43

NYLAND, T.G. et al. Gray-scale ultrasonography of the canine abdomen. Veterinary Radiology, 1981; 22: 220-227

NYLAND, T.G.; MATOON, J.S. Small Animal Diagnostic Ultrasound. Saunders, 2002. 

WALTER, P. A. et al. Ultrasonographix evaluation of renal parenchymal diseases in dogs: 32 cases (1981-1986). Journal of the American Veterinary Medfical Association, 1987; 191: 999-1007


8 comentários:

  1. Oi Fernanda!!!! Neste caso , não seria conveniente um ulltrasson guiada?
    Obrigada. Magna.

    ResponderExcluir
  2. Desculpe!!! Não li o post por completo!!!!
    Magna

    ResponderExcluir
  3. sem problemas, magna. obrigada por visitar e comentar.

    ResponderExcluir
  4. olá fernanda td bem
    meu nome é amilcar alexandre
    sou médico veterinario em bebedouro interior de sãopaulo
    tenho um aparelho igual ao seu dp3300 vet
    trabalho a 2 anos
    o horario e data do aparelho estão errados
    vc sabe como arruma, ja tentei um monte mas não consigo
    obrigado

    ResponderExcluir
  5. desculpe o abuso de novo
    vc tem escrito no visor do aparelho no alto esquerdo]
    o nome do site,,uktrassonografia veterinaria
    gostaria de escrever meu nome no meu[]
    como eu faço,,,
    obrigado

    ResponderExcluir
  6. Olá Amilcar,

    Obrigada por sua visita e pela interação!

    Para ajustar tanto a data e a hora quanto o nome no visor, basta entrar em "file" (arquivo, do original. Tem um disquetezinho desenhado no botão), clicar em "preset" e depois em "geral". Seguindo esse passos você encontrará as devidas áreas para preencher com os dados que precisa.

    Espero ter ajudado!

    Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado fernanda pela atenção
      sei que é complicado analisar imagens estáticas de ultrasom......mas posso mandar imagens para discussão ou tirar duvidas...muito obrigado
      como faço

      Excluir
    2. Oi Amilcar,

      Você pode me enviar no e-mail fernanda.vet@hotmail.com; sempre que é possível eu ajudo.

      Obrigada!

      Excluir